O Fabuloso Destino de Amélie (2001)

Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain

poster

Sinopse

Não é feliz a vida de Amélie. A mãe morreu no adro da Catedral de Notre-Dâme e o pai transferiu todo o seu afecto para um anão de jardim. Aos 22 anos, empregada de mesa em Montmartre, Amélie decide reparar a vida dos outros. Eis algumas das suas vítimas: a porteira, que chora pelo seu marido desaparecido, a hipocondríaca Georgette, e o "homem de vidro", eterno falsificador de Renoir. Um dia, Amélie conhece Nino. Empregado em "part-time" num combóio fantasma e numa sex-shop, é um coleccionador de fotografias abandonadas à volta das Photomatons. O jogo das escondidas vai começar...



Visitantes
Visitantes
4.1 (237 votos)
O meu voto
Login / Registo
PTGate
PTGate
2.7

Detalhes

Ano: 2001

País: França, Alemanha
Género: Comédia, Romance

Realização:
Jean-Pierre Jeunet

Intérpretes:
Audrey Tautou, Mathieu Kassovitz, Rufus

Links:
www.atalantafilmes.pt/2001/ofabulosodestinodeamelie (site oficial)
www.amelie-lefilm.com (site oficial)
www.amelie-lefilm.com/popup/annonce/grand_amelie.mov (trailers)
www.imdb.com/title/tt0211915

A crítica

ver todas
(...) um desses magníficos objectos para quem a escala das cincos estrelas é insuficiente”
Nuno Markl, Premiere
Que tem de tão especial?”
Ana Navarro Pedro, Público

Blogs

5.0/5Amélie
AMÉLIE é uma autêntica obra-prima, de uma sublimidade inquestionável, irrepreensível a todos os níveis. Um dos melhores filmes de sempre.”
Cineroad, 7/Set/2008
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

4.5/5Ana II Ana II 28 de Abril de 2012 às 02:37

Eu gostei do filme!
O que mais me cativou foi a sua invulgar vulgaridade, isto é, consegue confrontar-nos com as coisas mais simples da vida, mas de uma forma subtil e mágica.

3.0/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 27 de Junho de 2011 às 11:36

O filme não me soou a sublime. A banda-sonora, essa sim. Na minha modesta opinião, este é um caso agudo de sobrevalorização.

4.5/5Luís Fonseca Luís Fonseca 14 de Maio de 2011 às 14:03

E que dizer do piano de Yann Tiersen? Soberbo.