Não Brinques com Estranhos (2001)

Joy Ride

poster

Sinopse

Lewis (Paul Walker) é um estudante de férias que decide atravessar o país ao encontro do seu amor. No entanto, quando Lewis aceita ajudar o seu irmão a pregar uma partida a um motorista de um camião, o plano cai por terra. O motorista procura agora mais do que uma desculpa, quer vingança.



Visitantes
Visitantes
3.1 (63 votos)
O meu voto
Login / Registo
PTGate
PTGate
2.5

Detalhes

Ano: 2001
Estreia nacional: 16 de Agosto de 2002
Estreia mundial: 05 de Outubro de 2001

País: EUA
Género: Thriller, Acção, Terror

Realização:
John Dahl

Intérpretes:
Steve Zahn, Paul Walker, Leelee Sobieski, Jay Hernandez

Links:
www.joyridemovie.com (site oficial)
a1888.g.akamai.net/5/1888/51/07d240d75bad05/1a1a1aaa2198c... (trailers)

Filmes relacionados

Não Brinques com Estranhos 2 (2008)

A crítica

ver todas
JOY RIDE is a first-rate pure thriller, an exercise that depends on believable characters and the director's skill in putting the pieces together”
Roger Ebert, Sun-Times
NÃO BRINQUES COM ESTRANHOS explora habilmente uma série de variações sobre situações do «thriller» e do «road movie»”
Manuel Cintra Ferreira, Expresso

Blogs

3.0/5Joy Ride
Joy Ride é assim um thriller sem grande ousadia, sem grandes surpresas no seu argumento, mas que entrega o espectador aquilo que pedia (até demais tendo em conta que pode ser confundido com “suspense de pacotilha”), e ainda temos John Dahl a brindar-nos com algumas lições bem estudadas de Hitchcock e Spielberg. Recomendo!”
Cinematograficamente falando, 9/Mai/2011
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

5.0/5Bruno Ricardo Moreira da Costa Bruno Ricardo Moreira da Costa 2 de Março de 2012 às 07:17

Um thriller de cortar a respiração com Steve Zahn, Paul Walker e Leelee Sobieski.

John Dahl criou as estradas que provavelmente vão para o inferno das trevas do mal.

5.0/5Valverde Valverde 21 de Julho de 2011 às 12:59

Um pesadelo interminável com um argumento de cortar à faca. Joy Ride é um desses filmes que não têm receio de explorar de forma negra e mórbida e sórdida uma ideia básica que se estende ás raízes do medo, com ritmo de acção e thriller psicológico. Um achado.

4.0/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 22 de Junho de 2011 às 02:23

Surpresa para mim, encontrei aqui um filme que nos prende até ao fim em torno duma brincadeira que se transforma num jogo do gato e do rato bem perigoso.