Dogville (2003)

poster

a crítica

(...) um desconcertante cruzamento de representação teatral, reportagem televisiva e «happening» existencialista (...) No seu contido esplendor, «Dogville» é um produto da idade das ilusões em que a televisão nos encerrou”
João Lopes, Diário de Notícias
É decerto uma das desilusões do ano. Uma sofrível parábola filosófica com sufocante fundo jansenita e de um cinismo sem redenção (...) Mais vale o «making of»”
António Cabrita, Expresso