Monstro (2003)

poster

a crítica

Charlize Theron consegue interiorizar as nuances necessárias para criar uma personagem (...) Mas um facto é objectivamente inegável: MONSTRO só não cai nas inconsequências habituais dos telefilmes porque é resgatado constantemente pela força dramática da actriz.”
Tiago Pimentel, Premiere