(2004)

poster

a crítica

(...) instala-se uma impressão de «déjà-vu» que não deixa desfrutar o filme com inteira inocência do princípio ao fim. Tem ainda laivos de fascínio, mas deixa claro que Kusturica necessita de fazer uma viragem nos seus temas e processos.”
Antõnio Cabrita, Expresso