O Condenado (2004)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

4.0/5Valverde Valverde 27 de Abril de 2010 às 11:13

Juízo dificil que cabe a quem vê este filme, pois sendo um dos mais horriveis crimes que podem ser cometidos, somos colocados em frente de um jogo de arrependimento e combate de uma (suposta) doença, e isso cria espaço para várias interpetações. Muito interessante e Kevin Bacon está muito bem.

3.5/5jonas jonas 24 de Outubro de 2007 às 18:04

interpretação soberba de kevin bacon...quanto ao filme surpreendeume...3.5* intenso e dramatico

Carlos Varandas
Carlos Varandas 22 de Setembro de 2005

Polémico? Sim. Realista? Sim. É por isso mesmo que este filme se evidencia. Um filme curto, simples mas que passa uma mensagem poderosa, nua e crua, sem ressentimentos, sem apontar o dedo a ninguém. O problema da pedofilia, da integração dos ex presidiários na sociedade, da necessidade de acompanhamento permanente por parte de psicólogos, etc. etc. Como em tão pouco tempo é passada uma mensagem tão forte, recorrendo a analogias muito inteligentes, para falar de um assunto muito sério, a pedofilia. Os actores, no geral estão muito bons, embora a personagem principal abafe todas as outras. Um filme dramático muito bem escrito e realizado.

EWILAN - fixa este nome!
EWILAN - fixa este nome! 8 de Maio de 2005

Kevin Bacon encarna literalmente a figura do pedófilo. Muito boa interpretação, o filme é razoável.

Felipe Nicéas
Felipe Nicéas 12 de Abril de 2005

Bom, Kevin Bacon dá mais um show de interpretação neste filme interessante que aborda a Pedofilia. Não é um filme para todos os gostos, devo confessar que o filme me incomodou bastante, pois o assunto em questão não é tão fácil de ser mostrado na tela, mas o elenco está muito bem e o filme mostra uma vertente curiosa: "Será que uma pessoa que comete um crime de pedofilia pode ser reintegrada à sociedade"?

Ana
Ana 6 de Abril de 2005

Kevin Bacon já teve dias melhores...
Quando o filme acaba temos a sensação de não ter visto nada...