A Marcha dos Pinguins (2005)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

4.0/5Frederico Daniel Frederico Daniel 8 de Abril de 2016 às 23:52

5.0/5Valverde Valverde 29 de Dezembro de 2010 às 21:19

Estamos perante um dos mais poderosos documentários desta última década. A viagem dos corajosos pinguins é contada de tal forma que serve de exemplo e de ilustração ao homem e à sua forma de viver, ficando a mensagem que estes curiosos animais movem-se por um instinto que não é muito diferente do nosso, que vai desde a luta, a separação, a perseverança e o amor. Magnifica obra!

4.0/5Rolling-Murray Rolling-Murray 13 de Abril de 2009 às 20:41

Uma experiência muito interessante, com um resultado final lindíssimo, misturando as esmagadoras (embora desoladas) paisagens antárticas com o próprio encanto do pinguim-imperador em si e do seu modo de vida altruísta e empenhado. Não podia deixar também de referir a fabulosa banda-sonora da autoria de Emilie Simon, que "casa" de modo perfeito com as imagens que nos deleitam a vista. Só de pensar que nos EUA a banda-sonora foi trocada por uma mais convencional devido ao facto de a original ter sido considerado "demasiado exigente" para o público nativo deixa-me satisfeito por viver neste cantinho da Europa.

jalfy
jalfy 3 de Maio de 2007

Uma enorme caminhada em busca da sobrevivência. Interessante!

Zetti
Zetti 1 de Abril de 2007

Um fantástico hino à vida.

Rui Pereira
Rui Pereira 6 de Janeiro de 2007

Um filme fantástico com uma beleza incrível.
Parabéns a Luc Jacquet.
Óscar bem merecido e uma banda sonora excelente!

Carlos Varandas
Carlos Varandas 19 de Novembro de 2005

Deve ter sido um documentário muito difícil de realizar. Os meus parabéns a Luc Jacquet.
As imagens que nos fornece são lindissímas com paisagens geladas a perder de vista.
A Marcha dos Pinguins dá-nos uma ideia de como se estes animais vivem num lugar tão inóspito e sem vida, como acasalam, como se reproduzem e principalmente os perigos que têm que enfrentar para manterem a sua cria viva.
Durante o filme bem que tentamos fazer uma comparação com o seu humano, mas estes pequenos animais irracionais deixam-nos a milhas de distância no que respeita a força de vontade, a capacidade de sacrifício, ao amor pela família.
Um defeito: a narração não é muito bem conseguida, de tal forma que não chega a captar particularmente a atenção do espectador.