A Marcha dos Pinguins (2005)

poster

a crítica

(...) o tom pomposo e barroco da narração escrita por Jacquet e Michel Fessler menoriza estas imagens extraordinárias e a própria viagem dos pinguins, sabota-lhes a grandiosidade, reduz tudo a uma dimensão caseirinha e xoninhas”
Jorge Mourinha, Público
Imagens de cortar a respiração num documentário sobre a reprodução do pinguim imperador dos confins gelados da Antárctida, justificam amplamente este fita. Mas a antropomorfização dos bichos e a falta de rigor científico desvalorizam um tanto o objecto.”
Jorge Leitão Ramos, Expresso