(2005)

poster

a crítica

(...) um enorme fogo-de-artifício sem variedade, uma aventura extremamente insonsa (...) A única coisa que aqui se faz é ilustrar. Ilustrações sem alma, sem visão.”
Rui Pedro Tendinha, Premiere
A comparação com a trilogia de Peter Jackson é inevitável e incontornável. E é claro que AS CRóNICAS DE NARNIA sai a perder. A fantasia de CS Lewis é menos fertilmente imaginativa e bastante menos complexa do que a de Tolkien, muito menos épica e arrebatadora e muito mais infanto-juvenil (...) E após termos visto a Terra Média em todo o seu esplendor nas telas, Nárnia sabe-nos a pouco.”
Eurico de Barros, Diário de Notícias