A Honra do Dragão (2005)

Tom Yum Goong

poster

Sinopse

Quando era jovem, a familia de Kham resumia-se ao pai e aos seus elefantes. Kham aprendeu a arte do Jaturungkabart, praticado pelos seus antepassados desde há séculos, e a dominar o manejo das armas e do Muay Thai. Ao se aproximar o Festival da Água de Songkran, o pai de Kham está convencido que o seu elefante é suficientemente principesco para se passear nos jardins do Rei. Visita o chefe da vila, mas trata-se na realidade de uma armadilha para utilizar em proveito próprio o seu elefante. Kham descobre que os seus queridos companheiros estão destinados a ser enviados para a Austrália. Viajando pela primeira vez para fora do seu país, Kham chega a Sydney, em busca dos elefantes, agora em poder de Madame Rose, uma impiedosa chefe de um bando...



Visitantes
Visitantes
2.8 (33 votos)
O meu voto
Login / Registo

Detalhes

Ano: 2005
Estreia nacional: 13 de Julho de 2006 (#8 na 1ª semana)

País: Tailândia
Género: Acção

Realização:
Prachya Pinkaew

Intérpretes:
Tony Jaa, Petchtai Wongkamlao, Bongkoj Khongmalai

Outros títulos:
The Protector

Links:
www.warriorkingmovie.co.uk (site oficial)
www.warriorkingmovie.co.uk/trailer.html (trailers)
www.imdb.com/title/tt0427954

A crítica

(...) a única coisa que posso dizer (e acho que já é dizer muito) é que não via nada assim desde O NINJA AMERICANO 5.”
Vasco Baptista Marques, Expresso

Blogs

2.0/5Tom-yum-goong
É um vazio composto pelas mais sumptuosas sequências de artes marciais do momento, onde em cada acto começa com pancadaria e termina em pancadaria (...) A Honra Do Dragão foi feito para agradar aos fãs de Tony Jaa, somente. Infelizmente o resultado é decepcionante.”
Cinematograficamente falando, 24/Ago/2007
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

Hugo Gomes
Hugo Gomes 11 de Novembro de 2006

Honra do Dragão é mais violento e frenetico que o combate anterior de Tony Jaa (Ong Bak), mas há algo que falta neste filme!? Pois sim lembraram-se do talento de Tony Jaa mas esqueceram-se das personagens, argumento e uma realização menos videojogo.

Joao
Joao 18 de Junho de 2006

Este "novo" filme de Tony Jaa, está como não podia deixar de ser, recheado de cenas de combate frenéticas e malabarismos, penso eu que exagerados. Os confrontos são muito forçados, e até demasiado falsos. Alguns golpes não fazem muito sentido, e tornam a personagem intrepertada por Tony numa espécie de rambo de punhos. Um autêntico "stand-alone hero" sem armas de fogo. Ele defronta dezenas de adversários simultaneamente, derrubando-os um a um Às vezes com um só golpe, o que se torna cansativo aos olhos do público, e roça às vezes o ridículo. Tudo o que Tony Jaa tinha para provar, já o conseguiu no 1º filme (Ong-Bak), penso que este seria desnecessário. Ele domina verdadeiramente o Muay Thai, e é dotado de uma capacidade e agilidade em combate impressionante, no entanto acho que neste filme abusaram dessas capacidades. Aconselho a verem o filme na mesma, embora quem já tenha visto Ong-Bak não vá ver nada de novo.