O Escolhido (2006)

poster

a crítica

Definitivamente um dos filmes mais injustiçados do cinema de suspense/terror de sempre, «The Wicker Man» de 1973, realizado por Robin Hardy adaptou para o grande écran a novela de Anthony Shaffer, revelando um filme inquietante interpretado por Christopher Lee. Anunciada uma nova versão pelo cineasta americano Neil LaBute em que o próprio define o filme como uma reinvenção do original, implementando alterações, desde logo em algumas personagens centrais e no próprio argumento. Mas vamos ao filme...

De facto, «The Wicker Man» começa bem. O ritmo, o episódio que marca a vida de Edward Malus (Nicholas Cage) e a promessa de um bom filme de mistério fazem-nos crer em algo de bom. Infelizmente a constatação de que este é um filme para esquecer o mais rapidamente possível, vem cedo. Irreversivelmente a película cai nos diálogos longos e fracos, Nicholas Cage tem uma actuação medíocre e não ajuda que LaBute tenha centrado o argumento e as câmaras na figura do actor de «Cidade dos Anjos». As pistas que Malus vai descobrindo deixam tanto a personagem como o próprio público diante de um marasmo de ideias e a premissa de terror psicológico, de suspense e de misticismo são substituídos por um filme murcho, sem substância e no fundo... sem qualquer interesse. «The Wicker Man» não é assim tão diferente das inúmeras recuperações de clássicos do passado: um verdadeiro falhanço.”
Paulo Figueiredo, Cinema PTGate