(2006)

poster

a crítica

Timings perfeitos, canções a saírem da garganta dos actores (e que bem estão todos), ode romântica a um cinema e a uma dignidade do espectáculo já desaparecidas: eis um filme retro à procura de um espectador novo.”
Francisco Ferreira, Premiere