(2006)

poster

Sugerir blog


Se achar que merecemos, p.f. coloque um link para esta p‡gina. Agradecemos o seu contributo!

Para submeter um link faça login ou registe-se

blogs

4.0/5Pecados Íntimos / Little Children
o filme tem o condão de mostrar cenas banais do quotidiano e imprimir-lhes força e significado, com personagens que podem personificar qualquer pessoa, de tão "comuns" que são”
Bué de fitas, 10/Mar/2011
4.5/5Pecados Íntimos
Grande filme. Melodrama meticuloso, profundamente analítico tanto nos meandros da sociologia como nos recantos sombrios da psicologia (aliás, serve perfeitamente os propósitos desta última), flui tensa e intensamente num argumento assaz bem escrito da autoria de Todd Field; que, diga-se, realiza muito bem o filme. Sem pudores e sem medos, eis um olhar crítico, envolvente e por demais pertinente sobre a sexualidade e as relações humanas, os desejos e as frustrações, e a responsabilidade da paternidade numa sociedade assombrada pelos receios e perigos de proximidade com a pedofilia.”
Cineroad, 24/Mai/2009
4.5/5DVD: Pecados Íntimos, por Tiago Ramos
Little Children não recorre a artifícios como a fantasia para revelar todo o seu conteúdo, faz uso absoluto, acima de tudo, dos personagens e do narrador enquanto veículo de sensações, pensamentos e sentimentos.”
Split Screen, 10/Abr/2009
3.0/5Little Children - Crítica ao Livro e Filme
A primeira hora de filme, mais coisa menos coisa, está bem conseguida, tentando retratar, dentro de possível, aquilo que vimos no livro, com os maiores detalhes. Contudo, na segunda hora, é o descarrilamento total em direcção a um final hediondo, que nada tem a ver com o livro.”
pipocasetretas.wordpress.com, 27/Dez/2007
4.0/5Little Children (2006)
Pecados Íntimos não recorre a nenhuma fantasia ou surrealismo para obter o que quer, o consegue graças a interpretação dos actores principais, realização e mesmo a fotografia.”
Cinematograficamente falando, 6/Set/2007
4.0/5Little Children
Se de um modo geral o filme consegue funcionar de forma quase perfeita (destaco para lá da realização e das interpretações, o excelente trabalho de fotografia), há momentos em que as coisas derrapam um pouco.”
Cineblog, 11/Mar/2007