A Outra Margem (2007)

poster

Sinopse

Um travesti que perdeu o gosto pela vida é confrontado com a alegria de viver de um adolescente com síndrome de Down.



Visitantes
Visitantes
3.4 (29 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
2.3 (12 votos)
galeria

Detalhes

Ano: 2007
Estreia nacional: 25 de Outubro de 2007 (#10 na 1ª semana)

País: Portugal
Género: Drama
Duração: 106 min.
Classificação: M/12
Distribuidora: Atalanta

Realização:
Luís Filipe Rocha

Intérpretes:
Filipe Duarte, Maria d'Aires, Tomás Almeida

Outros títulos:
The Other Side

Links:
www.clapfilmes.pt/aoutramargem (site oficial)
www.imdb.com/title/tt0799788

A crítica

Preso à originalidade de um argumento que, por si só, não pode esticar-se a longa-metragem e deslumbrado com as suas boas intenções, A OUTRA MARGEM esquece-se que há um filme a erguer, ficando a... mais ››
Francisco Ferreira, Expresso
O melhor filme de Luís Filipe Rocha desde ADEUS PAI. Mais uma vez, Rocha mostra-se um realizador com uma rara sensibilidade para abordar as relações familiares e a forma de superar as fracturas que... mais ››
Manuel Cintra Ferreira, Expresso

Blogs

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

4.0/5Valverde Valverde 8 de Abril de 2011 às 17:58

Um belíssimo filme português que pega em dois improváveis personagens e os junta numa história comovedora, sobre regressos ao passado onde existe a amargura e as diferenças, mas onde se encontra a coragem e a força de viver. A fotografia é negra, mas filma o interior de Portugal com uma enorme sensibilidade. Filipe Duarte é excelente, mas o desempenho de Maria d´Aires é soberbo.

4.0/5Edgar Edgar 12 de Outubro de 2008 às 14:09

"A Outra Margem", quanto a mim, seria a segunda opcção a uma nomeação ao óscar melhor filme estrangeiro.
Um filme forte...

3.5/5Anton Ni Brahonain Anton Ni Brahonain 24 de Janeiro de 2008 às 11:37

Este filme português, tem a coragem de mostrar dois tipos de pessoas, que são postas à margem da sociedade, dita normal, os homossexuais e os portadores de deficiência, com uma enorme elegância de argumento e diálogos, saliento a belissima prestação da actriz Maria d'Aires, que consegue emocionar, sem se tornar piegas! sim, porque este é um filme de emoções. A escolha da música está muito bem conseguida e é introduzida nos momentos certos, digo eu!