O Escafandro e a Borboleta (2007)

Le Scaphandre et le Papillon

poster

Sinopse

A 8 de Dezembro de 1995, um acidente vascular brutal deixa Jean-Dominique Bauby, jornalista e pai de duas crianças, num coma profundo. Quando sai do coma, todas as suas funções motoras estão deterioradas. Atingido pelo que a medicina chama literalmente de síndrome de "locked-in", fechado no interior de si mesmo, ele não pode mexer-se, falar, nem mesmo respirar sem assistência. No corpo inerte, só um olho mexe. Ele pisca o olho uma vez para dizer "sim", duas vezes para dizer "não". Com o seu olho, ele capta a atenção do seu visitante através das letras do alfabeto que ele lhe dita e forma palavras, frases, páginas inteiras... Com o seu olho, ele escreve o livro "O Escafandro e a Borboleta", cujas frases ele memorizou todas as manhãs durante semanas antes de as ditar... Sarcástico e desencantado, Jean-Do não tem mais do que as palavras para viver os fragmentos de uma existência que ele qualifica de mutante...



Visitantes
Visitantes
3.6 (45 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
1.5 (8 votos)

Detalhes

Ano: 2007
Estreia nacional: 25 de Outubro de 2007
Estreia mundial: 23 de Maio de 2007

País: França, EUA
Género: Drama
Duração: 112 min.
Classificação: M/16
Distribuidora: LNK

Realização:
Julian Schnabel

Intérpretes:
Mathieu Amalric, Emmanuelle Seigner, Marie-Josée Croze, Max von Sydow

Outros títulos:
The Diving Bell and the Butterfly

Links:
www.lescaphandre-lefilm.com (site oficial)
www.lescaphandre-lefilm.com (trailers)
www.imdb.com/title/tt0401383

A crítica

Há filmes assim que não deixam quaisquer dúvidas: insuportáveis da primeira à última imagem. Sobretudo para quem gostar de melodrama, como nós, este sentimentalismo pateta, «realizado»,... mais ››
Mário Jorge Torres, Público

Blogs

5.0/5Crítica - O Escafandro e a Borboleta
O Escafandro e a Borboleta é um filme quase perfeito, o argumento trata de um tema duro e complexo suavizado e completado por uma realização brilhante. É um filme visualmente e sonoramente belo, muito elegante e conciso sem nunca desviar a atenção do tema principal e claro como todos os bons dramas, bastante emotivo.”
Portal Cinema, 6/Fev/2008
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

4.0/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 28 de Junho de 2012 às 03:40

Apesar de ser um filme parado, não custa a ver. É pesado e difícil de digerir, mas vale a pena.

4.0/5Vanessa Vanessa 26 de Julho de 2010 às 02:17

Quando começei a ver o filme pensei que ia ver alguma coisa parcida com A borboleta azul, mas isso não aconteceu...

Este filme é muito mais realista, muito mais pesado e monótono do que a Borboleta azul...

Para mim este filme capturou e demonstrou na perfeição o que é ter incapacidades e o que é viver com elas... Só por isso o filme já vale muito... Excelente.

Não dou as 5* porque não estou habituada a ver filmes tão parados mas espero um dia mais tarde rever e dar as 5*... Para já leva 4*

4.5/5Vitinha Vitinha 4 de Julho de 2010 às 21:04

Um filme dificil de digerir,que custa a ver porque é tudo menos dinâmico,é um filme ao nivel da personagem Bauby,ou seja "paralisado",mas é uma boa historia esta de Jean Dominique Bauby,um grande homem sem duvida alguma,sentimo-nos angustiados ao visionar esta fita,porque como já se disse aqui ficamos completamente locked in,quando vemos Bauby no "presente" ficamos paralisados,só nos mexemos quando vemos Bauby no "passado",tudo isto graças á excelente realizaçao de Schnabel

4,5*