(2007)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

3.5/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 25 de Agosto de 2013 às 00:58

Este é um filme muito bom mas que provavelmente não entra facilmente nos preferidos de toda a gente, como foi o meu caso. Este é daqueles que merece bem uma segunda visualização. Tem excelentes interpretações (Bardem, sobretudo) e é sobre elas que o filme assenta pois a história é quase relegada para segundo plano. Quanto ao final, não sei o que dizer dele.

3.0/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 15 de Maio de 2011 às 11:47

Não é um filme arrebatador, à primeira vista. Vive de subtilezas e pormenores. Na minha opinião, o seu ponto exponencial é a interpretação brutal de Javier Bardem, que chegou a deixar-me desconfortável. Vê-se muito bem. É um filme bastante rico.

4.5/5Mike20 Mike20 16 de Junho de 2010 às 22:13

Excelente!
Mistura todos ingredientes de um bom filme, todos na quantidade certa e no ponto certo... Altamente metafórico, não é um filme para a pipoca. 4,5*

5.0/5jalfy jalfy 20 de Outubro de 2009 às 11:03

Realizado com muita sabedoria.

4.5/5Maaaaaaat Daaamooooon Maaaaaaat Daaamooooon 10 de Julho de 2009 às 13:07

Não há muito para dizer, já foi dito aqui!

É um filme muito bom, gostei bastante.

4*

5.0/5João Grilo João Grilo 9 de Junho de 2009 às 18:34

Os Irmãos Coen conseguem fazer um grande filme de que genero seja, de comédia como é exemplo disso The Big Lebowski, ou entao um filme como Este Pais Não é Para Velhos, que mereçeu cada prémio, um filme soberbo

5.0/5Valverde Valverde 14 de Maio de 2009 às 19:28

Este País Não é Para Velhos é um dos melhores - senão o melhor - filmes que esta decada presenciou, é também, num filme completissimo a todos os niveis, uma reflexão preocupante sobre o tipo de pessoas que estão a vir para este mundo, e os valores que estão a ir. As regras do lado do mal e a vaidade do lado do bem. Um classico moderno. E os monologos de Tommy Lee Jones são absulutamente extraordinários!

3.5/5Fábio Fábio 7 de Março de 2009 às 20:15

Só o fui ver, porque fiquei curioso ao saber porque é que este filme foi o melhor do ano 2007 e deparei-me com um filme normal de crime. 3.5/5*

3.5/5Viciado Cinema Viciado Cinema 15 de Fevereiro de 2009 às 22:51

Coens equilibram a narrativa para outro patamar, um filme invulgar de grande contexto cinematografico, com um grande Javier Bardem. Dos mais substimados filmes de Oscar.

3.5/5

4.5/5ramus ramus 10 de Fevereiro de 2009 às 16:33

gostei muito do filme..a história pode até ser um pouca confusa, mas o argumento está excepcional e javier bardem empresta uma classe à personagem..só visto.

4.0/5JoãoC. JoãoC. 6 de Fevereiro de 2009 às 00:37

Como diz uma amigo meu "é um filme estranho mas com classe".

5.0/5Bruno Bruno 11 de Janeiro de 2009 às 23:34

É sem duvida bom, o que acontece é ter pouca historia, mas os momentos de suspense salvam o filme.
Gostei
4*

dragoonfire dragoonfire 15 de Novembro de 2008 às 23:26

Como é que isto pode ganhar oscar de melhor filme?

danizituh danizituh 5 de Setembro de 2008 às 17:14

belo filme, a actuação de Javier Bardem está fenomenal assim como aquela arma de ar. os dialogos estão bem conseguidos e o final e surpreendente e diferente.

4.0/5Karlytus Karlytus 19 de Agosto de 2008 às 08:50

Um bom filme.. haverá sempre melhores e piores.. um filme deve ser analisado na medida do possível individualmente..
Nota + para o final.. ;)

2.5/5Sofia Sofia 6 de Agosto de 2008 às 00:10

O filme de certa forma é supreendente, mas quem ja viu filmes do javier bardem esta habituado a este tipo de representação deve ter sido por isso que nao axei nada de especial o que nao quer dizer k nao é um optima representaçao, mas axo que ja vi filmes dele com uma representaçao melhor.

O argumento é original, a tal pistola de ar supreendeu-me imenso.

Saudações Cinematograficas

2.5/5André Filipe Moreira Santos André Filipe Moreira Santos 4 de Agosto de 2008 às 16:21

não gostei nada deste filme mas reconheço k tem uma boa realização e uma boa actuação de javier bardem, só por ixo dou 2.5*
oscar não merecido, em 2007 houve melhores filmes

4.5/5Hugo Silva Hugo Silva 3 de Agosto de 2008 às 16:09

Estão de parabéns, sim, vocês que dedicara duas horas da vossa vida a ver este filme, *clap clap*, sem dúvida.

"Este País Não É Para Velhos" deixou-me muito intrigado desde o inicio, o sucesso que teve perante a critica e inclusive a nomeação para os óscares fizeram-me por em causa os padrões que os entendidos de hoje usam para avaliar os filmes mas enganei-me redondamente.

Não é preciso música, não é preciso uma fotografia espectacular, nem sequer estrelas de hollywood, apenas um cast muito bem conseguido, uma trama espectacularmente linear mas incrivelmente eficaz e acção q.b..

Parabéns Javier Barden, se não soubesse, acreditaria mesmo que és um psicopata frio e sem escrupulos.

3.5/5jonas jonas 1 de Agosto de 2008 às 21:05

ora bem este filme tem muita tinta por onde correr...para mim nao é o melhor filme de 2007 tao pouco...fica a milhas de Expiação na minha opinião...mas nao deixa de ser agradavel de ver..mas dai a ser o melhor filme de 2007 ainda vai um bocado...bom mas nada de mais..fantastico esta Javier Bardem...3.5*

Ricardo Piairo Ricardo Piairo 27 de Julho de 2008 às 14:59

Bem o filme é bom, mas para ser o melhor filme do ano??? hum.. não concordei. Agora a interpretação de Bardem fica para a história sem duvida!!

4.5/5idieinmind idieinmind 16 de Julho de 2008 às 17:52

Nunca tinha visto um filme destes dito cujos irmãos Coen, e antes de ver este, estava com poucas expectativas. E este filme surprendeu-me. Prendou-me ao sofá completamente com aquele jogo de gato ( o psicopata) e os ratos ( todos aqueles que estam em frente do seu caminho). Penso que daqui uns anos, até poderemos chamá-lo de "filme de culto"! e digou-o sem exageros. Mas com o desenrolar do filme, esperava um final intenso, muito climatérico, e recheado de suspense, o que não aconteceu, e a personagem de Tommy Lee Jones, acho, podia ter tido maior protagonismo, mas nenhum destes detalhes, impediu-me de adorar este filme. O oscar de melhor filme foi ganho com todo o seu direito.

Fernando Torres Fernando Torres 13 de Julho de 2008 às 17:20

Naqueles anos 80 do século passado, época em decorre a acção deste filme dos irmãos Coen, o mundo, e não só aquela pequena cidade da América fronteiriça e rural, tutelada por um velho e desalentado marshall, estava a tornar-se um sítio perigoso e incontrolável, face à criminalidade resultante do narcotráfico. Ele pressente que se aproxima uma guerra grande demais para os escassos meios de que dispõe, e que ele, consequentemente, já não consegue controlar. Daí o pretexto para ele se decidir por uma prematura aposentação. Em qualquer guerra, quando uma das partes começa a perceber que está a ser ultrapassada pelos acontecimentos, a par da desilusão de não ter conseguido cumprir, com sucesso, o seu dever, é altura de decidir: ou veste a pele de herói e enfrenta o inimigo, ou bate em retirada e desiste. Por isso, aquele marshall (Tommy Lee Jones), num magistral papel de anti-herói, sendo um homem amargurado que se sente impotente para enfrentar a violência crescente, que cerca a sua circunscrição, dispõe-se a baixar os braços. A angústia que assola o seu espírito só é comparável à desolação da paisagem texana que o cerca. Chega a confessar que depois de muitas provações, cada vez mais descrente, e com o pessimismo já instalado e empedernido na sua alma, ficou à espera que Deus viesse ao seu encontro, mas a espera foi em vão. A mensagem é indubitável: se Deus é Deus e se ausentou para parte incerta, sendo ele um simples mortal, o que estão à espera que faça?
Entretanto, envolvido na teia do tráfico, surge um novo protagonista. Ele é um predador nato (Javier Bardem), matador de novo tipo, uma voraz máquina assassina que se move orientada com uma missão, baseada numa “filosofia” e numa “ética”, tão elementar como um jogo de “malmequer-bemmequer”, que pretende assumir-se como modelo e prática do mal absoluto. Por onde passa, como uma pestilência, vai deixando um sulco de morte, eliminando, uma após outra, todas as testemunhas com quem se cruza. Para ele, decidir se as suas vítimas irão viver ou morrer, é tão simples como lançar uma moeda ao ar. Tal processo serve para lavar a sua consciência, com a mesma eficácia com que a água lava o sangue das suas mãos. Naquela personagem, a fronteira entre o humano e o monstro nunca foi tão ténue. Por isso, todo o filme é uma dupla caçada, feita perseguição tenebrosa, onde os três protagonistas quase nunca se cruzam, e onde os destinos ficam à solta, sabe-se lá com que novos rumos e vítimas, e onde a crueldade é servida a frio e magistralmente sublinhada, pela total ausência de banda sonora.
Superiormente interpretado por Tommy Lee Jones, Javier Bardem e Josh Brolin, este é mais um filme dos irmãos Coen, genial e soberbamente realizado, mas que marca uma certa inflexão nas subtilezas da sua anterior produção artística, de onde desapareceram os habituais apontamentos grotescos, para serem substituídos por uma substancial dose de pessimismo, neste caso, expresso através de uma violência quase demencial. Parece um filme paradoxal, assim como paradoxal parece o seu desfecho, a sugerir que a história poderá não ter fim à vista, mas não é! Se a história quer provar que aquele país não é para descrentes e desalentados velhos, também é verdade que este filme não é para incautos, nem consumidores de entretenimento puro. É um filme que obriga a reflectir profundamente sobre as mutações das sociedades e da condição humana, sobretudo naquela (e esta) época tão alienada quanto carente, em que uma mala cheia de dinheiro exerce um poder tão hipnótico e mórbido, quanto fatal. Quem não conseguir fazer uma leitura profunda, o remédio é deixar passar os anos, e um dia, voltar a rever este grande filme. Isto porque a idade, ao progredir, se por um lado provoca erosão na audácia e na eficácia, por outro também promove acumulação de experiências e vivências, que vão aperfeiçoar o entendimento e refinar os sentimentos.

4.5/5Luis Carvalho Luis Carvalho 11 de Julho de 2008 às 00:52

Um grande filme dos Cohen. No entanto o filme que mais me supreendeu desta dupla brilhante foi "Barton Fink".

4.5/5Fernão Fernão 28 de Junho de 2008 às 02:29

esperava uma grande bosta neste filme, mas surprendeu-me

3.0/5jakub_quegostadefigosfrescos jakub_quegostadefigosfrescos 23 de Junho de 2008 às 13:15

para mim um filme com ambiente interessante. EUA das vilas pequenas com vidas pequenas dos perdidos no deserto. boas interpretações. mais nada.

4.0/5barbara barbara 8 de Maio de 2008 às 15:14

Mais um filme para comprovar o talento extraordinário do actor espanhol, Javies Bardem

4.0/5ATown.DR ATown.DR 29 de Abril de 2008 às 14:44

Filme bom, mas não tão bom quanto Fargo, na minha opinião, daí que o óscar de melhor filme não seja merecido.
O filme tem uma atmosfera negra fantástica, um argumento muito bom, e uma tensão que atinge o seu ponto mais alto na cena do quarto de hotel em que Llewelyn está à espera do ataque de Anton.
Especial destaque para Javier Bardem - excelente!!!
4/5

unknown unknown 19 de Abril de 2008 às 20:11

Só ainda não percebi tal facto: vencedores óscares = grandes e intemporais películas cinematográficas, se podemos cinema a Hollywood... Se "A Clockwork Orange" ou o próprio mestre Stanley Kubrick nunca obtiveram tal prémio, como é possível este tipo de filme/entretenimento ser vencedor?

Como continuo a dizer: Os óscares não têm validade no mundo do cinema.

Valter Antunes Valter Antunes 13 de Abril de 2008 às 10:23

Muito bom filme,fico na dúvida se deveria mesmo ter ganho o oscar de melhor filme do ano,e o oscar de melhor actor secundario para Javier Bardem tá uma estupidez,porque ele é o actor principal,desde o inicio do filme que tudo gira em torno dele.

3.5/5Rolling-Murray Rolling-Murray 13 de Abril de 2008 às 00:14

Vale essencialmente pela qualidade da realização dos Coen e pela soberba interpretação de Bardem - não é qualquer um que consegue incutir medo no espectador apresentando aquele corte de cabelo... Mesmo assim, ainda fica a uma distância considerável de Fargo.

5.0/5jlvalente jlvalente 11 de Abril de 2008 às 23:15

Este filme é muito mais que um sonho.
Merecedor de todas as melhores criticas.
Exemplar interpretação de Javier Bardem.

3.5/5Ricardo N. Ricardo N. 11 de Abril de 2008 às 02:57

Bom filme...m existem alguns aspectos q n gostei.

4.0/5kimERA kimERA 3 de Abril de 2008 às 16:52

Sem um argumento brilhante nem original os irmãos Coen lá conseguiram fazer um bom filme, muito graças às suas técnicas de realização mas sobretudo aos actores. Daí a merecer o óscar...

3.5/5Rui Afonso Rui Afonso 18 de Março de 2008 às 13:56

Sem conhecer a realidade norte-americana há dois realizadores que através dos seus filmes a retratam como eu a imagino... os Coen pegam na américa rural e Tarantino na américa urbana e ambas me perecem desoladoras e cruas! Um filme que sem ser obrigatório é ainda assim a não perder.

3.5/5Filipe Nunes Filipe Nunes 16 de Março de 2008 às 12:27

Aqueles que dizem que o filme vale, unicamente, pela interpretação de Bardem não viram o mesmo filme que eu. Grande realização, uma história muito bem gizada, um conjunto de actores de primeira linha, em resumo, um grande filme! Tem aqueles elementos que os Coen já nos habituaram: personagens "alternativas", diálogos "non-sense", momentos escabrosos. Sem dúvida, um filme a não perder. 3.5/5

4.0/5Carlos Varandas Carlos Varandas 15 de Março de 2008 às 20:58

Realização fabulosa num filme absolutamente obrigatório.

5.0/5Nuno Gonçalves Nuno Gonçalves 15 de Março de 2008 às 01:00

Um dos melhores filmes a que já assisti e uma das melhores interpretações da história recente do cinema: Javier Bardem. Simplesmente fabuloso!

Ant Sil Ant Sil 9 de Março de 2008 às 12:14

Ganda filmaço! Muito realista, sem actores "principais" e que reflecte bem o que se passa nos USA. Para quem está habituado a ver a papinha toda escarrapachada ... esqueça; há cenas que dizem mais por não existirem mesmo. O final é interminável como deve ser!
4 óscares merecidos!

4.0/5ricardo ricardo 9 de Março de 2008 às 10:41

bom.

5.0/5Valverde Valverde 3 de Março de 2008 às 10:56

Tudo corria bem, até que de repente, após Tommy Lee Jones se calar, a audiencia fez "baaah". Uma experiencia cinematográfia espectacular. Um filme obrigatório, um classico, não necessitando de um final "lamechas" nem formal para finalizar aquilo que é, o maior marco de 2007.

4.5/5Hugo Gomes Hugo Gomes 2 de Março de 2008 às 20:59

Pais Não é Para Velhos, sendo este o radical título traduzido, é um livro de notas musicais mudas e vivamente instáveis que produzem Bach alinhado com fragmentos de Ennio Morricone inacabado, que poderão dar a sensação de abruptidade no final que resultará numa repulsa emocional (...) Vencedor merecedor!

- Cinematograficamente Falando ...

4.0/5Bruno César Bruno César 1 de Março de 2008 às 19:55

O filme dos Óscares deste ano. É um bom trabalho dos irmãos Coen, mas para mim não é o melhor. O argumento é bom, a prestação de Bardem é soberba mas o resto do filme não é mais que um festival de sangue e mortes aos magotes muito bem realizado! Um filme que vai entreter todos os que gostam deste género de películas. Não acho que valha os 4 Óscares mas é que é bom, lá isso é bom.

2.5/5Luis Salgado Luis Salgado 1 de Março de 2008 às 14:02

Nada de especial.Uma cowboiada um pouco mais moderna.
Mesmo a interpretação do Javier Bardem,não é nada por aí fora...

3.0/5Cinéfilo26 Cinéfilo26 1 de Março de 2008 às 04:39

Nada de especial.Vale pela interpretação de Javier Bardem, que é brutal. Na minha opinião está muito longe de ser o melhor filme.

mbv mbv 29 de Fevereiro de 2008 às 12:03

O Javier Bardem é, no mínimo, co-protagonista juntamente com o Josh Brolin. Foi sugerido para actor secundário porque tinha mais chances nessa categoria. Fizeram o mesmo com o Casey Affleck, por exemplo.

3.0/5lfda lfda 28 de Fevereiro de 2008 às 21:18

Cara ou coroa? Aonde é que eu já vi isto? Será no DOMINO? Que original...

3.0/5JB JB 28 de Fevereiro de 2008 às 19:26

Grande Javir Bardem! N entendo pq n entrou na categoria dos nomeados p melhor actor principal...n é mm nele q a história tem o seu motor? Qt ao filme axei um pouco chato nalgumas partes, tem o seu interesse mas fikei algo desiludido.
Pessoal n é preciso zangarem-se pois por + q os filmes têm qualidade há gostos e gostos e eu sou uma pessoa habituada a ver mts filmes q ninguém gosta e respeito. Este filme n é uma obra-prima para mim.É apenas a minha opinião.

4.5/5Méndez Méndez 28 de Fevereiro de 2008 às 11:32

Ou estou muito a leste do mundo do cinema ou estão algumas pessoas que andaram para aqui a comentar.

Os irmãos Coen eram normalmente uns tipos meios-loucos a quem Hollywood não ligava peva. Por isso quem vem agora defender que só ganhou por causa "interesses" está redondamente enganado.

O filme não é pão-pão queijo-queijo bang-bang por isso se estão à espera de vir um filme assim mais vale a pena não irem ver.

Nesta história toda só à uma coisa que me faz alguma confusão Bardem como actor secundário... depende do ponto de vista de quem vê o filme... ou não será assim?
4.5*

mfmt mfmt 27 de Fevereiro de 2008 às 23:32

Quase todo o bom cinema é apelidado pela maioria de "chato" ou "fastidioso". É uma pena que assim seja..

edgar edgar 27 de Fevereiro de 2008 às 11:06

um filme algo aborrecido, excepto nas "partes de tiroteio", o que como é obvio em nada engrandece a pelicula. Não perdem absolutamente nada se nao virem 2*

3.0/5lfda lfda 26 de Fevereiro de 2008 às 23:38

Consegui ver o filme sem adormecer...bem realizado mas nada mais do que isso.

3.5/5mercysisters mercysisters 25 de Fevereiro de 2008 às 10:38

Nada de especial. Nem sei como ganhou 4 óscares!!! 3.5/5

3.0/5Ron Mexico Ron Mexico 22 de Fevereiro de 2008 às 23:51

fora o bardem, nada de mais.

1.5/5InTenebris InTenebris 10 de Fevereiro de 2008 às 13:54

concordo com o just4fun. Para além da interpretação do Bardem, nada de especial. Aliás, aqueles 5 minutos finais são o descalabro do filme. Inacreditável é como este filme é proposto a melhor filme, melhor realização e melhor argumento... interesses, como sempre...

4.5/5emer emer 30 de Janeiro de 2008 às 22:31

Grande Filme! um autentico western actual

5.0/5Klasw Klasw 26 de Janeiro de 2008 às 15:51

Epá...um dos melhores filmes dos últimos 10 anos!!!
Tudo é excelente, desde a adaptação do livro (aconselho a lerem), as interpretações, a fotografia, a banda sonora....
Para ver e rever....

4.0/5Rui Francisco Pereira Rui Francisco Pereira 24 de Janeiro de 2008 às 20:08

Um dos melhores filmes do ano, com um excelente argumento e grandes interpretações de Javier Bardem,Tommy Lee Jones e Josh Brolin.

2.5/5just4fun just4fun 12 de Janeiro de 2008 às 10:52

Sinceramente não vejo nada de especial no filme a não ser a interpretação do Javier Bardem.

4.5/5tujoinacio tujoinacio 9 de Janeiro de 2008 às 11:22

Javier Bardem será mais um promovido por esta dupla de sangue fantástica, os irmãos Coen.

Quanto ao filme, é excelente, 4,5*

jaqueiros jaqueiros 5 de Janeiro de 2008 às 00:27

Excelente!!!!
De longe o melhor filme de 2007!
Óscar para Bardem sem qualquer dúvida!

5.0/5vasques vasques 30 de Dezembro de 2007 às 18:40

filme fantástico com uma interpretação brutal do Javier Bardem
10/10