Persépolis (2007)

Persepolis

poster

Sinopse

O filme conta a história de uma menina que cresce no Irão durante a Revolução Islâmica. É através dos olhos da precoce e extrovertida Marjane, de 9 anos, que vemos a esperança de um povo ser destruída quando os fundamentalistas tomam o poder, forçando as mulheres a usar o véu e mandando para a prisão milhares de pessoas. Inteligente e destemida, Marjane consegue fintar os "guardas sociais" e descobre o punk, os Abba e os Iron Maiden. Mas, quando o seu tio é cruelmente executado e as bombas começam a cair sobre Teerão durante a guerra Irão/ Iraque, o medo diário que invade o quotidiano do Irão torna-se palpável. À medida que vai crescendo, a ousadia de Marjane torna-se uma constante fonte de preocupação para os seus pais que temem pela sua segurança. Assim, aos 14 anos, tomam a difícil decisão de a enviar para uma escola na Áustria. Vulnerável e sozinha numa terra estranha, tem que enfrentar as típicas contrariedades dos adolescentes. Além do mais, Marjane é confundida com o fundamentalismo religioso e o extremismo, exactamente as coisas de que fugiu no seu país. Com o tempo, acaba por ser aceite e até conhece o amor, mas com o fim do liceu começa a sentir-se sozinha e cheia de saudades de casa. Apesar de isso significar ter que pôr o véu e viver numa sociedade tirânica, Marjane decide regressar ao Irão para estar mais perto da sua família. Após um difícil período de ajustamento, entra para uma escola de artes e casa-se, embora continue a levantar a sua voz contra a hipocrisia a que assiste. Aos 24 anos, percebe que, apesar de ser profundamente iraniana, não pode continuar a viver no Irão. É então que toma a dilacerante decisão de trocar a sua terra natal pela França, cheia de optimismo em relação ao futuro, moldada indelevelmente pelo seu passado.



Visitantes
Visitantes
3.6 (53 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
3.4 (14 votos)

Detalhes

Ano: 2007
Estreia nacional: 21 de Fevereiro de 2008 (#16 na 1ª semana)
Estreia mundial: 27 de Junho de 2007

País: França, EUA
Género: Animação, Drama
Duração: 95 min.
Classificação: M/12
Distribuidora: Midas Filmes

Realização:
Vincent Paronnaud, Marjane Satrapi

Intérpretes:
Chiara Mastroianni, Catherine Deneuve, Danielle Darrieux

Links:
www.sonyclassics.com/persepolis (site oficial)
www.movie-list.com/trailers.php?id=persepolis (trailers)
www.imdb.com/title/tt0808417

A crítica

ver todas
Uma das melhores surpresas do cinema de animação dos últimos tempos”
Nuno Galopim, Notícias Sábado
Porque é que PERSÉPOLIS é tão maravilhoso?”
Jorge Mourinha, Público

Blogs

3.0/5Persepolis
Mesmo sendo uma história verdadeira, uma declaração ás injustiças praticadas no país de origem, Persepolis não consegue fugir ao panfleto animado, onde não dá ideias de balanço ás suas provações e os maniqueísmos são evidentes. Ficamos pelo interessante quer pela sua tradicional animação, quer pela sua experimentalidade narrativa, mas uma coisa é certa o mundo é de tons de cinzento e não preto e branco como a animação de Persepolis ente.”
Cinematograficamente falando, 3/Mar/2008
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

3.5/5Valverde Valverde 24 de Maio de 2010 às 18:04

É um filme simples, uma animação que funciona mais no sentido de propraganda do que propriamente de elevação de tecnicas. Atenção aqui á palavra propraganda, porque em primeiro lugar o filme é francês, depois fala numa comunidade bem presente em França e depois passa ali uma alusão ou duas que parecem quase um suporte da decisão polémica que envolveu a proibição do véu islamico em França. Não quero ser mau, e acredito que o filme, até pelo seu claro potencial significa bem mais do que isso, mas fica aqui a atenção. E sim, é um bom filme, claro.

4.5/5Maaaaaaat Daaamooooon Maaaaaaat Daaamooooon 2 de Novembro de 2009 às 17:43

Tudo de bom que tenho a dizer já foi mencionado. Animação tradicional e fantástica com um filme muito bom. Quem diz que os filmes que não são americanos não mereçem opurtunidades?

4*

4.5/5MantorrasBranko MantorrasBranko 6 de Outubro de 2008 às 02:57

Para mim este filme está muito bem feito. De uma forma diferente mostra-nos uma história que de certo modo nos é algo familiar, não só por falar em fundamentalismo religioso e no Irão, mas por ter parecenças, em certos aspectos, a ditaduras que Portugal e outros países viveram. É interessante ver a protagonista a evoluir no seu crescimento pessoal e na forma de lidar com a situação do seu país.