Ensaio Sobre a Cegueira (2008)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

4.0/5Mónica Bonjour Mónica Bonjour 30 de Março de 2012 às 11:41

encontro sempre respostas alternadas para este filme, porque nos dá que pensar, os cenários estão perfeitos,bem caracterizados. é uma questão de vida ou morte e é a luta pela sobrevivência e que nem sempre o mais forte ganha quando as pessoas se juntam e lutam pela justiça.

3.0/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 25 de Junho de 2011 às 15:52

Um filme interessante, embora esperasse mais... Fez-me reflectir sobre a natureza (des)humana. Chega a ser aterrador nesse aspecto.

3.5/5Maria Inês Maria Inês 10 de Março de 2011 às 22:28

O filme foi bom, se bem que sou absolutamente fã da obra de Saramago e preferi o livro, no entanto foi bastante fiel e não se saiu nada mal...

4.5/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 13 de Julho de 2010 às 02:06

Excelente filme! Brilhantes interpretações numa história que nos mostra o quão cruel e desumana pode ser a nossa natureza. Fiquei curioso por ler a obra de Saramago.

4.5*

4.0/5Vitinha Vitinha 21 de Fevereiro de 2010 às 22:46

Li o livro e revi o filme,estando bem adaptado e tendo uma excelente realizaçao,acho que Fernando Meirelles foi um bocadinho preguiçoso corando tempo de antena a algumas personagens que sao bastante importantes no livro,de inicio o filme esta super fiel ao livro no final e que cortou algumas cenas bastante interessantes,bem sei que nao pode ter la todos os pormenores que tem no livro,é pena

mesmo assim mantenho as 4* pois o filme deve ser avaliado de diferente forma do livro sendo duas formas de arte completamente distintas

5.0/5Vanessa Vanessa 3 de Janeiro de 2010 às 02:15

Quando comentei pela primeira vez o filme ensaio sobrea cegueira disse que gostei do filme e disse que tasva com curiosidade para ler o livro, pois bem já tou a ler o livro a aconselho as pessoas a fazer o mesmo...

O livro é um espectaculo e o filme não foge muito ao conteudo do livro, não se vão desiludir se o lerem dps de terem visto o filme...

Aconselho

5.0/5Mike20 Mike20 3 de Dezembro de 2009 às 16:13

Um filme que consegue misturar o belo e o macabro! É extremamente revoltante em algumas cenas! Visceral! Arrebatador! Dá muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito que pensar! 5*

4.5/5vitor vitor 26 de Outubro de 2009 às 12:30

Dramático, com bom suspense. Não li o livro mas o filme mexeu comigo. 4,5*

sebastian sebastian 30 de Setembro de 2009 às 23:42

Este era um dos títulos que constavam da minha extensa lista de filmes a visionar . Por dois motivos fundamentais : o realizador Fernando Meirelles que nos ofereceu o brilhante “ O Fiel Jardineiro “, e o nosso peso-pesado da literatura José Saramago.
O argumento conta-se em poucas palavras : uma grande cidade é subitamente assolada por uma misteriosa “cegueira branca “. As primeiras vítimas desta epidemia são isoladas num hospital em ruínas, sendo este o ponto de partida para o desenrolar de toda a trama. A história…ou melhor, a ideia em si, é super interessante e teria todas as condições para dar um filme memorável, se….não tivesse sido retratada de forma fantasiosa, repleta de disparates e incongruências. Nos tempos modernos em que vivemos, será credível que um país abandone por completo um conjunto de pessoas infectadas por uma doença nova, que necessita de ser compreendida e estudada ? Não existem médicos e especialistas a acompanhar ? Aqueles infelizes, foram pura e simplesmente enjaulados numa espécie de Alcatraz e tratados como criminosos da pior espécie ! Eu penso que até no Botswana as pessoas teriam melhor tratamento !
Mais, a que propósito é que só uma pessoa consegue, miraculosamente, escapar à doença ? Efectivamente, a personagem interpretada por Julianne Moore está no centro de mais uma grande anormalidade . Se, como todos sabemos, em terra de cegos, quem tem olho é Rei, como se compreende que a única pessoa que não foi afectada pela epidemia e que fingiu estar doente para ajudar o seu marido, não tenha aproveitado essa extraordinária vantagem para aniquilar o grupo rival ?

Não, em vez disso, permitiu que os criminosos abusassem sexualmente de si e das outras mulheres do seu grupo !... Isto só nos filmes !

A verdade é que, apesar de todas estas incoerências, mantive sempre os olhos bem abertos sempre à espera que se fizesse luz sobre as grandes interrogações que assolavam o meu frágil cérebro. Desgraçadamente, o filme acabou e eu fiquei mergulhado na mais completa escuridão. Como não li o livro, não sei se a minha cegueira foi provocada pelo Meirelles ou pelo Saramago !
panicosuorlagrimas.blogspot.com

4.0/5Filipe Nunes Filipe Nunes 9 de Agosto de 2009 às 11:01

Excelente.
4/5

2.0/5Inesfilomena Inesfilomena 16 de Julho de 2009 às 15:37

Não gostei.

Está bem feito.

Mas pessoalmente , não gostei

5.0/5Vanessa Vanessa 13 de Julho de 2009 às 23:57

Ensaio sobre a cegueira é um filme que na minha opinião faz qualquer pessoa pensar "e se aquilo se passa-se comigo".
É um filme que nos mostra muito bem outras realidades, e que tem cenas um pouco pesadas... Um filme que a todos os niveis é fantastico e que me despertou uma curiosidade imensa para ler o livro. Um filme que sem duvida merece 5*.

André Manuel Dias Amorim André Manuel Dias Amorim 2 de Julho de 2009 às 23:44

A adaptação de uma das obras nacionais mais conhecidas e emblemáticas, “Ensaio Sobre a Cegueira” de José Saramago, acabou por causar reacções díspares. À partida existem aqueles que leram o livro, e existem aqueles que ouviram falar dele. Se no meu caso, fazia parte do grupo dos que ouviram falar, mas nunca leram, o que posso dizer é que fiquei bastante agradado com o que vi e com ainda mais vontade de o ler.

A história centra-se na personagem interpretada por Julianne Moore, que está excepcional, e vai-nos gradualmente inserindo numa sociedade em colapso devido ao surto de uma epidemia de cegueira, servindo essa mesma tragédia da cegueira, para realçar o melhor e o pior das pessoas. Até que ponto pode ir a vontade de sobreviver? A que ponto chegaríamos nós próprios? A maneira dura, crua e nua com que o realizador adaptou esta obra de Saramago, deixa-nos numa espiral de emoções, que nos faz transportar e observar toda aquela tragédia como se estivéssemos a fazer parte dela.

A verdade é que para as pessoas que leram o livro, apesar de talvez não deixarem de sentir que Saramago esteve na base da construção de uma obra tão complexa, podem achar o filme bastante desinspirado, e a verdade é que o argumento podia e talvez devesse ter sido mais bem explorado por Fernando Meirelles. No entanto, detalhes à parte a sequência em que o filme foi montado, a base da história em que foi construída e a maneira como nos afecta, é para ser visto.

A nível de actores secundários, Mark Ruffalo e Danny Glover são iguais a si próprios, dentro de um registo bastante razoável, mas quem nos salta à vista é mesmo Alice Braga que continua a sua escalada rumo a um lugar de topo em Hollywood e Gael García Bernal que é sem sombra de duvidas é um dos actores mais promissores da actualidade.

Ninguém consegue deixar de ficar indiferente a este filme, que de uma maneira ou outra acaba por nos tocar e nos fazer pensar que ” pior do que não conseguir ver é ser a única pessoa a ver “.

3.0/5Diana Diana 26 de Maio de 2009 às 12:08

Nunca li o livro é certo logo não posso dizer se está uma boa adaptação ou não.
Em relação ao filme eu gostei é diferente acho que está na altura de vermos filmes diferentes no cinema.
Acho que é um filme que tem de ser anaizado a nivel pessoa e fazer-nos pensar no "Se fosse eu? O que faria nesta situação?", esse é o grande objectivo do filme levar-nos para a realidade em que aquelas pessoas se viram a viver de um momento para o outro.

3.5/5André Filipe Moreira Santos André Filipe Moreira Santos 5 de Maio de 2009 às 00:53

Grandes momentos de realização aliados a uma fotografia "descorada", onde nos identificamos com a personagem de Julianne Moore, vendo todo o mal "cego" que existe na raça humana. Perante isto é dificel não desejar "Vou Cegar" porque mais vale não ver certas coisas...3.5*

caterina caterina 2 de Maio de 2009 às 21:02

Há muito tempo, quando li o livro, achei que daria um excelente filme. Fiquei muito expectante quando soube que iria mesmo ser realizado. Estava com receio que o filme não superasse as minhas expectativas, pois o livro é brilhante. Mas, Fernando Meireles está de Parabéns! Dá-me a sensação, de que quem não leu o livro não apreciará ( tão bem) o filme. Há pormenores, como por exemplo o cão das lágrimas, que no livro está mais detalhado. Tendo como base o livro o filme é mesmo dramático e imperdível.

Formiga Formiga 1 de Maio de 2009 às 10:10

Filme estranho....aquela parte sexuual era desnecessaria e foi ridicula....dou um 2/10.

sharkinboard sharkinboard 24 de Abril de 2009 às 19:31

achei o filme estranho...esquisito acima de tudo, mas ve-se bem.

4.0/5daniel daniel 22 de Abril de 2009 às 15:55

Bom filme

4.0/5Vitinha Vitinha 18 de Abril de 2009 às 23:15

Um filme com um bom argumento ,fotografia rebuscada e original,cenas bastante pesadas,filme que mostra uma realidade assustadora e mostra ainda imaculadamente o animal que é o Humano,...Fernando Meirelles com mais um bom filme a confirmar todo o seu potencial o elenco esta tambem de parabens porque nao e um filme facil de fazer...

**spoilers**
o final mostra que toda a gente que foi atingido pela cegueira depois de recuperar viria mais humano com sentidos mais apurados e muito mais fortes por tudo o que passaram por isso a prsonagem que nunca perdeu a visao ficaria em desvantagem com todos os atingidos por nao ter passado por aquela experiencia


4* mas irei rever este filme

3.0/5diogo diogo 7 de Março de 2009 às 23:42

Gostei!
Não é um grande filme mas consegue prender o espectador ao ecra.

No final não entendi muito, ou melhor, esperava mais da parte final mas mesmo assim está um bom filme.

4.0/5kkl kkl 9 de Fevereiro de 2009 às 22:01

um filme com cenas bastante fortes emocionalmente..

gostei muito!

4.0/5kimERA kimERA 19 de Janeiro de 2009 às 22:43

Não vão à espera de mais um filme de epidemias como tantos outros que já se fez. Este filme é muito complexo e muito trabalhado. A fotografia é brilhante e os actores estão em grande forma. Fernando Meirelles começa a construir uma carreira com uma solidez invejável.
Gostei do pormenor de as personagens não terem nomes e mesmo assim conseguirmos indentificarmo-nos com elas, muito caracteristico de Saramago.

5.0/5mercysisters mercysisters 19 de Janeiro de 2009 às 11:53

Espantoso. 5*

salome salome 8 de Janeiro de 2009 às 19:27

grande filme,grande fotografia, excelentes representações, enfim um filme brilhante, que capta na perfeição a essencia brutal e primitiva do ser humano. um filme que da para uma longa conversa sobre a nossa propria condição,merece sem duvida a nomeação para os oscares, ja ha bastante tempo k nao via um filme que me enchesse tanto, fantastico

4.5/5jonas jonas 30 de Dezembro de 2008 às 02:51

brilhante 4.5* Um filme para os oscares a meu ver. Argumento Brutalissimo

3.5/5Valverde Valverde 20 de Dezembro de 2008 às 23:56

Não se pode deixar escapar em Cegueira, certas situações realmente rídiculas sem qualquer tipo de senso, até mesmo em alguns actores pouco credíveis, no entanto, se colocar-mos de lado certos pormenores, concentrando-nos no núcleo que a história de Saramago nos trás através a realização de Meirelles, podemos dizer que estamos perante um filme competente. Um filme, aliás, até mais que isso, um filme denuncia, um filme que sabe colocar o ser-humano no seu lugar primitivo, e nesse campo, o filme é brilhante, tal como o seu final com uma das melhores frases/conclusão que já se viram em muito tempo.

3.5/5Lourenço Lourenço 12 de Dezembro de 2008 às 17:04

o filme é bastante bom, da-nos a perceber o que seria de nos se o mundo fosse todo invisual..mas nao surpreende,tudo o que tamos a espera que aconteça acontece a pronto,de qualquer forma seria dificil fazer melhor, é mais uma trunfo deste realizador,ficamos a espera do seu proximo filme. 3.5*

3.0/5Viciado Cinema Viciado Cinema 11 de Dezembro de 2008 às 17:34

Blindness é notavel na sua forma de trasmissão de drama e emoções envolventes da natureza negra humana, mas é etrusco no conteudo que parece dissipar desde a primeira dezena de minutos.

3/5

4.0/5Mónica Casanova Mónica Casanova 7 de Dezembro de 2008 às 16:29

Gostei muito do filme, mas confesso que saí da sala de cinema um bocado chocada. Mas agora, quanto mais penso no filme mais gosto dele. Infelizmente aquilo é uma realidade na nossa sociedade, e custou me ver algumas das cenas. O filme está muito bem realizado e interpretado, mas a Juliane Moore, a meu ver, merece ser realçada.

4.0/5Adriano Adriano 3 de Dezembro de 2008 às 00:37

Um filme bastante interesssante , um pouco forte sobretudo para as Mulheres...

Uma visão fria , mórbida e dura acerca dos principios humanos.

agora percebo o porquê de saramago viver isolado numa ilha de calhaus . . . nunca tive coragem de ler um livro seu , apenas me fascinou o filme ser de Meirelles e de ter um optimo elenco.

vale bem o preço do bilhete , apesar de algumas falhas e de uma "1ªparte" um pouco cansativa e mal contada...

16****/20*****

3.5/5João Farinha João Farinha 27 de Novembro de 2008 às 15:31

Gostei bastante do filme. Há muito tempo que não saia da sala de um cinema com toda a gente a falar com o seu parceiro do lado sobre o filme. E se este filme dá para longas conversas...
Confesso que não li o livro mas vou agora lê-lo assim que possa

5.0/5Boneko Boneko 26 de Novembro de 2008 às 00:53

adorei o filme, e so de pensar que tentei evitar este filme durante duas semanas,preferindo outras estreias, ja estou mto arrependido.

o filme pode ser um pouco parado, mas é taambem mto forte, certamente um dakeles filmes para mais tarde rever.

bobdealer bobdealer 20 de Novembro de 2008 às 03:12

bem, eu cheguei agora a casa depois de ver o filme e.. ainda estou meio "abananado" com aquilo que vi.

regra geral, um filme é bastante mais fraco que o livro.
neste caso, nao quero dizer que o filme seja melhor que o livro de saramago, mas é talvez o único filme que vi (depois de ter lido o livro) e nao saí da sala desiludido por ter sido tao "mal passado" para a tela.
tirando um outro pormenor, está perfeito!

depois de cidade de deus, o fiel jardineiro e agora ensaio sobre a cegueira, dissipam-se-me as dúvidas, fernando meirelles é um dos melhores realizadores da história do cinema.

4.5/5Liliana Liliana 17 de Novembro de 2008 às 22:10

Falta um lado emocional? Não concordo. (Lá está, depende da "visão" de cada um). Eu emocionei-me várias vezes ao longo do filme. É verdade que o lado frio e incómodo é muito mais evidente,( e visível para todos). Mesmo correndo o risco de parecer (ou ser) pretensiosa :), tenho de dizer que acho que mais importante q a capacidade de identificação, é a capacidade de empatia.

2.0/5Jorge Tomé Santos Jorge Tomé Santos 17 de Novembro de 2008 às 18:08

Faz já alguns anos que tentei ler o “Ensaio Sobre a Cegueira” de José Saramago, mas fiquei-me pelo meio. Achei o livro chato e com uma escrita pretensiosa, mas lembro-me de ter achado que a ideia era boa para um filme.

Agora, anos mais tarde, eis que nos chega a adaptação cinematográfica da famosa obra de Saramago, dirigida pelo brasileiro Fernando Meirelles. A história é simples, uma estranha epidemia espalha-se por uma cidade (talvez pelo mundo inteiro, quem sabe?) provocando uma estranha cegueira branca nas suas vítimas. Depressa se instala o caos e é o salve-se quem puder, com os instintos de sobrevivência a comandarem as acções dos humanos. Só uma mulher permanece estranhamente imune à doença.

Meirelles consegue dar-nos um retrato negro da raça humana, tornando o filme incómodo e frio. E se esse lado está muito bem criado, com algumas sequências visualmente fortes, falta um lado emocional que faça a ligação entre as personagens e nós espectadores. O elenco é bom e convincente, mas não me consegui identificar com ninguém e sinto que era importante que isso tivesse acontecido. Senti-me como um mero espectador, em vez de sentir o desespero, angústia e claustrofobia das personagens. O facto de o filme também se arrastar um pouco também não ajudou muito.

Acho que me vou lembrar sempre deste filme pela sua fotografia esbranquiçada, com cores moribundas.

4.5/5Liliana Liliana 17 de Novembro de 2008 às 12:20

Ps. Também consegui "captar" outras perspectivas, por exemplo (esta mais positiva): num mundo em que ninguém vê (esta sim, uma cegueira física), não interessa se somos altos, baixos, gordos, magros, bonitos, feios, pretos, brancos, ou verdes :)...deixam de existir aparências, raças...a única coisa que importa é aquilo que somos como pessoas. É um filme tão complexo, que para mim é impossível fazer uma interpretação linear...

Grande coragem deste realizador por pegar num tema tão "delicado" e polémico, enfrentando a "cegueira" de tudo e de todos. A má recepção por parte da crítica era previsível...O filme consegue ser bastante incómodo. Gostei muito das interpretações, especialmente de Julianne Moore.

4.5/5Liliana Liliana 16 de Novembro de 2008 às 23:59

Entender e "captar" exactamente aquilo q Saramago pretende transmitir não é tarefa fácil, pois a meu ver, ele confere ao leitor uma total liberdade de interpretação. Este filme (tal como o livro) é, para mim, muito intenso e chocante...(ainda estou em estado de recuperação) :) Mas é uma metáfora genial.

Num mundo tão atarefado e apressado, quando alguém em plena rua pede ajuda, é possível q grande parte das pessoas continue a andar como se nada tivesse acontecido (atitude de completa indiferença) ou então como alternativa, até podem parar, não com verdadeira intenção de ajudar, mas de tirar "vantagem" do estado de fraqueza e fragilidade da pessoa (p.ex. para a roubar)...e é assim que começa o filme. E é este tipo de "cegueira" que eu vi (não apenas a cegueira física)... A "cegueira" do egoísmo, da indiferença, das desigualdades, da discriminação, do preconceito, do racismo, da ganância... da "alienação" das pessoas. E a q ponto as pessoas chegam quando está em causa a sua sobrevivência. Dá para concluir que, afinal, quem acaba por sofrer mais é quem "vê" e não aqueles que não conseguem "ver".

andrematos andrematos 16 de Novembro de 2008 às 11:52

MVB

Neste caso de tradução, quem se enganou, foram os senhores que adaptaram o filme para o grande ecrã. A obra de saramago, TEM O TÍTULO ORGINAL DE: ENSAIO SOBRE A CEGUEIA. Ora quem deu o nome de "Blindness", foi quem o adaptou. Em Portugal, fica o nome original do livro.

(não batam mais no ceguinho)

2.0/5ff ff 11 de Novembro de 2008 às 17:36

livro soberbo

4.5/5Sofia Sofia 9 de Novembro de 2008 às 18:59

Vou ser sincera, nao li este livro mas vi-o ontem no teatro, e digo-vos este filme esta soberbo, se nao for nomeado para os Oscar será uma vergonha.

Eu tinha uma noçao simples do que era o argumento, mas nao tem nada a ver com aquilo que eu pensava e ate vi o trailer.

Conselho vivamente a todos verem este filme esta demais, boas representações, excelente realizaçao e divinal argumento.

Nao tem nada em comum com aqueles filmes basicos americanos.

Super Recomendado

3.0/5User User 22 de Outubro de 2008 às 20:29

Vi o filme em Leuven, na Bélgica, com legendas em holandês e por isso duas ou três falas passaram-me ao lado. Por essa razão gostaria de rever a última cena com a parte narrativa final, mas ainda assim um bom filme, diferente, um pouco forte para alguns creio.

2.5/5Bernardo Bernardo 5 de Outubro de 2008 às 02:24

Eles chamaram ao FILME "Ensaio Sobre a Cegueira"?

Mais uma prova de que as traduções para cinema e televisão em Portugal são feitas em cima do joelho e por gente com particular falta de talento. Aposto que ainda que o título da obra tivesse algo mais corriqueiro como "livro", "diário" ou "apontamentos textuais" no lugar de "Ensaio" eles teriam mantido na mesma.

Karlytus Karlytus 27 de Agosto de 2008 às 17:57

N quero criar demasiadas expectativas qt a este filme porém com um dos meus realizadores preferidos, com o elenco de luxo e com o argumento baseado na história fantástica do nosso Nobel Saramago torna-se complicado n o fazer.. a ver vamos como diria o cego.. ;)