Os Amores de Astrea e Celadon (2007)

poster

a crítica

Rohmer continua a demonstrar a sua juventude, do ponto de vista criativo, e a paixão pela juventude, que demonstra nas personagens e nos actores com que trabalha.”
João Antunes, Jornal de Notícias
(...) um tratado sobre o prazer do texto, sobre o valor da palavra e sobre o travestismo implicado em todo o movimento de representação. Haverá melhor prova da vitalidade de uma obra única que se recusa a morrer?”
Vasco Baptista Marques, Expresso