Aquele Querido Mês de Agosto (2008)

poster

Sinopse

No coração de Portugal, serrano, o mês de Agosto multiplica os populares e as actividades. Regressam à terra, lançam foguetes, controlam fogos, cantam karaoke, atiram-se da ponte, caçam javalis, bebem cerveja, fazem filhos. Se o realizador e a equipa do filme tivessem ido directamente ao assunto, resistindo aos bailaricos, reduzir-se-ia a sinopse: «Aquele Querido Mês de Agosto acompanha as relações sentimentais entre pai, filha e o primo desta, músicos numa banda de baile». Amor e música, portanto.



Visitantes
Visitantes
3.7 (41 votos)
O meu voto
Login / Registo
PTGate
PTGate
4.0
Crítica
Crítica
3.4 (12 votos)

Detalhes

Ano: 2008
Estreia nacional: 21 de Agosto de 2008 (#14 na 1ª semana)

País: Portugal
Género: Romance
Duração: 145 min.
Classificação: M/12
Distribuidora: O Som e a Fúria

Realização:
Miguel Gomes

Intérpretes:
Sónia Bandeira, Fábio Oliveira, Joaquim Carvalho

Links:
www.osomeafuria.com/aqma.html (site oficial)
www.imdb.com/title/tt1081929

A crítica

ver todas
(...) uma ode fílmica ao que há de mais genuíno no povo português, mas também uma nostálgica e apaixonante evocação da adolescência.”
Nuno Carvalhp, Notícias Sábado
(...) o melhor filme português da década (...) Um verdadeiro encantamento.”
Manuel Cintra Ferreira, Expresso

Blogs

4.0/5Crítica - Aquele Querido Mês de Agosto
O melhor filme português desde "Alice". Pelo menos para mim não houve mais nenhum que me fizesse sacrificar o dinheiro do bilhete para o ver. Merece ser visto e projectado em muitas salas.”
Portal Cinema, 3/Set/2008
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

4.0/5Valverde Valverde 26 de Novembro de 2010 às 02:00

É, obviamente, diferente de tudo esta forma cinematográfica de actuar, que nos fala sobre o interior de Portugal e de todas as experiências captadas dos relatos diversos numa fita de duas horas e meia. Pode-se dizer que onde o filme ganha é, também, onde também perde, a sua originalidade de misturar géneros e uni-los numa experiência só. Ás vezes podemos cair na tentação de pensar que "isto era giro mas com uma história linear". O espectador pode tender a confundir-se por vezes, mas, muito importante é quando percebemos que acima de tudo estamos perante algo que não se vê todos os dias, sim e mesmo noutros filmes portugueses, o espectador depara-se com a infindável floresta de Portugal, aquela onde os sons da montanha trazem canções envolvidas, mostra tudo o que é nosso num tempo tão nostálgico e alegre, o mês de Agosto. Seja qual quer que for o rótulo a aplicar a esta obra, nestas duas horas e meia está o nosso Portugal, com orgulho, e isso basta.

jalfy jalfy 3 de Setembro de 2009 às 11:45

É muito curioso o trabalho de filmagem.
É só isto.

R0NIK R0NIK 7 de Julho de 2009 às 01:15

e o DVD, é para quando? :(