A Turma (2008)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

2.5/5jonas jonas 4 de Fevereiro de 2012 às 18:26

tou desiludido..esperei algum tempo para ver este filme e no final de contas nao achei nada de especial 2.5*

2.5/5Maria Inês Maria Inês 10 de Março de 2011 às 22:23

O filme não é de todo mau, mas foi sobrevalorizado na minha opinião...concordo com Luís Dias, demasiado realista, parecia quase documentário e não uma narrativa...no entanto, não foi muito mau.

4.0/5Mário Menezes Mário Menezes 24 de Dezembro de 2009 às 15:00

Muito bom!Dedicado a todos os professores e daqueles que fazem do ensino de jovens uma profissão!

3.5/5Luís Dias Luís Dias 11 de Setembro de 2009 às 23:59

Filme demasiado realista, sinceramente parece-me que falta um pouco de "história" à mistura... Mas a sua componente de acção demonstra e bem o que é a realidade hoje nas escolas em qualquer centro urbano. Bom som e bom argumento! 3.5*

Rui C Rui C 29 de Junho de 2009 às 03:14

O filme está bem conseguido, com bom argumento, bla bla bla... mas não tenho paciencia para estes filmes!!

Mas não quer dizer que seja mau...

4.0/5Valverde Valverde 13 de Maio de 2009 às 22:58

É importante que existam filmes como este, já que a podridão da juventude, que cada vez é mais evidente, só consegue retirar alguma coisa das "três caixas" (televisao, computador e cinema). Por isso, que não olhem, mas que observem, existe uma diferença nisso, e o filme mostra-o com uma frieza aterradora. No final, que aprendam, porque mudar-mos não é sinal de falta de caracter, é sinal de sabedoria e maturidade.

4.5/5MantorrasBranko MantorrasBranko 8 de Maio de 2009 às 06:43

É assim: quem, nestes tempos de liberdade, teve aulas numa escola comum experienciou o que é uma turma como a que mostra neste filme; umas piores que outras, todos nós podemos rever os nossos dias de estudantes, na adolescência, retratados, pelo menos em alguns aspectos, aqui no filme. Voltamos a uma aula do ciclo, quando vemos esta longa-metragem. Os professores devem rever-se também, muito provavelmente. Não é por acaso; o actor principal é mesmo professor e os adolescentes são também alunos. Aqui está super evidente a miscelânea de personalidades, emoções, situações, conflitos, que os alunos têm e originam, e com os quais um professor tem de lidar. Aqui clarifica-se o modo como por vezes, embora o aluno não tenha o mínimo de razão e esteja a ser um puto estúpido, o professor tem que calar e comer. A forma como é complicadíssimo controlar uma aula e abafar o stress para não dar em doido. Eu só fui aluno, mas nunca deixei de compreender o quão difícil e ingrato por vezes é ser professor. Quanto mais nos dias de hoje, com miúdos cada vez mais insolentes, com maior multiculturalidade que reforça as dificuldades, tanto a nível de relação interpessoal como de aprendizagem. Não invejo quem é pedagogo numa típica escola cheia de adolescentes com a mania. Este filme mostra a tarefa exaustiva, o desafio, que é ser professor num contexto destes. Dificilmente A Turma podia ser mais realista do que foi. Magnífico filme.

3.5/5iamthestory iamthestory 4 de Maio de 2009 às 19:11

Eu gostei muito do filme. A moral e tudo isso, mas fiquei super chateada com o fim da história. Ou seja, com a atitude das miúdas. Passei-me por completo.

Mas falando do filme em si, apresenta-se muito bem escrito e transpõe a pura situação real, não da minha turma (também era bem bonita de fazer um filme!), mas os problemas acabam sempre por ser os mesmos tal qual como as suas causas e consequências. No entanto a relação professor aluno continuará a ser para mim sempre um mistério...nunca sabemos o que vai naquelas cabecinhas.

2.0/5jorgecouto jorgecouto 21 de Abril de 2009 às 10:04

Real demais, ficou de lado o cinema, uma vez que é um filme e não um documentario....

5.0/5jalfy jalfy 19 de Abril de 2009 às 15:45

très bon film

4.5/5mfmt mfmt 14 de Dezembro de 2008 às 22:29

Palmas para Laurent Cantet. Aqui está um filme poderoso que se foca na relação professor-alunos como poucos o conseguiram até então. Uma das suas grandes qualidades é a sua neutralidade, não assumindo a posição de nenhum dos intervenientes o que não deixa de ser louvável nos dias que correm.
Para quem procura uma história de contornos perfeitamente traçados não a encontrará neste Entre Les Murs, encontrará sim um filme espontâneo como são aqueles alunos retratados e até mesmo os professores. Uma película estimulante e um documento precioso para quem procurar compreender a escola como uma instituição formadora de personalidades e carente de uma nova visão crítica.

Uma palavra final para o cinema francês que parece em franco renascimento. Bem-haja.

3.0/5Tiago Ribeiro Tiago Ribeiro 18 de Novembro de 2008 às 18:19

Fui ver este filme com uma espectativa elevada. Depois de ver o filme fiquei decepcionado.
"A turma" é um filme muito aborrecido, não aborda as questões sociais, religão, etc, directamente, é tudo muito superficial.
E o final é´ridiculo...pouco realista.
Este filme só tem 5 planos - Sala de aula, Refeitorio, Sala de Professores, Recreio, Sala do Director.É muito claustrofobico.
O aspecto interessante são as personagens essencialmente os alunos.

4.0/5aLqUimISta aLqUimISta 13 de Novembro de 2008 às 23:29

Concordo com os comentários já aqui deixados.
De facto, a naturalidade e a simplicidade que estão presentes ao longo de todo o filme dão a sensação de que é um documetário.

O sentimento familiar, torna-se maior também graças à maneira de como "A Turma" está filmado... Nós somos mais uma personagem...mais um aluno.

É fácil revermo-nos naquelas crianças. Todos nós já fomos ou já tivemos colegas iguais, aos que estão ali presentes.

A ver.

3.5/5Jorge Tomé Santos Jorge Tomé Santos 9 de Novembro de 2008 às 12:03

Presentemente em Portugal existe uma grande crise na educação, com os professores a sentirem-se cada vez mais impotentes com as novas regras e com os alunos a serem cada vez mais agressivos e irreverentes. Assim, este filme francês não podia estrear em melhor altura e acho que devia ser visto por todos os professores, pelos alunos, pelos pais destes e por quem dirige o Ministério da Educação. O país da acção pode ser França, mas os problemas são os mesmos.

François é um jovem professor de Francês com uma turma difícil, com alunos de várias etnias e extractos sociais, o que provoca conflitos entre eles e muitas discussões com o professor. O filme, quase documental, segue esta turma durante um ano e tem a vantagem de não tomar partidos. Para além das aulas, também nos mostra os bastidores das reuniões de professores, onde se perde tanto tempo a discutir uma nova máquina de café como o problema relacionado com um aluno; as dificuldades que estes sentem ao tentar ensinar as suas disciplinas e a manter a ordem nas aulas, bem como as decisões difíceis que por vezes se vêem obrigados a tomar e do cuidado que têm que ter com as coisas que dizem aos alunos.

Dirigido por Laurent Canted, o filme é brilhante na sua simplicidade e na forma natural com que filma o dia a dia do ano lectivo. O argumento, de autoria de François Bégaudeau, professor de profissão, está muito bem escrito, numa linguagem simples e tão real que não tenho dúvidas que tenha realmente acontecido numa sala de aulas ou sala de professores. Bégaudeau também se estreia aqui como actor, no seu próprio papel, e é perfeito (será que alguém que faz de si próprio pode ser nomeado para um Óscar?) como o professor que se quer interessar pelos seus alunos, mas que não consegue pôr a sua arrogância de lado e que, quando fica sem resposta, diz coisas como “eu posso dizer isso porque sou o professor”. Quanto aos alunos, são interpretados pelos próprios e são tão naturais que merecem um prémio conjunto pelas suas excelentes interpretações (julgo que lhes posso chamar isso).

O único defeito que encontrei no filme, foi o facto de o achar um pouco longo, mas achava o mesmo das aulas quando era aluno. Depois de ver esta “A Turma” não imaginam como fiquei contente por não ter escolhido a carreira de professor, mas aconselho toda a gente a ver este filme, pois acho que é importante e, ao mostrar-nos os dois lados da situação, dá-nos uma percepção mais real do ensino.

4.5/5Adrix Adrix 31 de Outubro de 2008 às 02:13

Que posso eu dizer de um dos melhores filmes que vi este ano ?!
Confesso que ainda ñ percebi se é mesmo um filme ou se tem uma vertente de documentário porque pareceu-me tudo tão natural e simplista que nem parece filme.

E de tão natural me parecer senti-me como se tivesse naquela sala sentado com os alunos e a rir-me com o que eles diziam às vezes.

Um desenvolvimento interessante dos vários alunos do professor François que tenta desenvolver as várias capacidades dos seus alunos ... alunos esses que alguns são um tanto ao quanto problemáticos.
Consegue-se criar uma empatia com aqueles jovens que nem parecem representar. Além do mais aquilo é mesmo a vida deles - escola.
Peca um pouco pela sua duração e alguns momentos seriam desnecessários.
E sem dúvida o melhor do filme são os debates na sala de aula ... um mimo.

Não é filme para todos os gostos e um bocado arriscado ... mas ñ se perde nada se o vir.

Aconcelha-se vivamente