(2008)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

4.0/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 11 de Dezembro de 2011 às 04:46

Uma bela aventura. Não há muito a dizer, é para ser visto!

1.5/5Diogo Silva Diogo Silva 22 de Março de 2011 às 11:50

Não basta tirar fotos e dizer que são espectaculares quando o enredo é tão aborrecido e monótono. E o que se passou com a Nicole?

4.0/5Mike20 Mike20 16 de Junho de 2010 às 20:17

PS: As quase 3 horas de filme passam a voar e são perfeitamente justificadas!

4.0/5Mike20 Mike20 16 de Junho de 2010 às 20:13

Difícil... Ainda estou a digerir o filme...

Por um lado temos um argumento brilhante, bons diálogos e claro, uma componente visual simplesmeste ESPETACULAR! Ah e excelentes interpretações, e uma (ou várias) mensagens no mínimo soberbas!

Por outro lado (e agora uma opinião mesmo muito pessoal), depois de ter visto Romeu + Julieta ou o colossal Moulin Rouge!, passei o filme à espera da parte em que o filme pusesse "prego a fundo" rumo àquela hiper-actividade que torna os filmes de Baz Luhrmann tão bons... Mas nada... Isto não fez do filme desagradável, mas confesso que acabei o filme frustrado por não ter tido aquele "gostinho" tão característico!

Uma das grandes culpadas pela incapacidade do filme de galvanizar o público é sem duvida aquela banda sonora que não vai com nada... Momentos em que se pedia uma musica poderosa... Temos uma musiquina de embalar... E para mim isso feriu de morte certas cenas do filme, mesmos as com mais potencial dramático, que em condições normais seriam de deixar os espectadores com pele de galinha... (Faz-me lembrar o filme "Tubarão", que sofre do mesmo mal)
A única cena que escapa a esta tendencia de musica, é a cena da debandada que tem uma música excelente!

Conclusão: Para conseguir apreciar a espetacularidade deste filme temos de nos esquecer que estamos a ver um filme de Baz Luhrmann, mas quanto a parte da banda sonora... nada a fazer! Fora estas duas questões o filme é mesmo muito bom.

4* Só nao leva as 5 pela questão irremediavel que ja referi a cima, e apesar de ser uma componente muito importante, a espetacularidade do resto consegue colmatar muito bem essa falha!

5.0/5Nessa Nessa 8 de Fevereiro de 2010 às 17:45

Não consigo perceber alguns comentários, mas cada um tem direito à sua opinião. Para mim este filme está brilhante! Concordo plenamente com o primeiro comentário da Liliana.
5*

4.0/5Vitinha Vitinha 22 de Junho de 2009 às 23:40

O filme nao e assim tao fraco,podia ser mil vezes melhor devido ao argumento,elenco e ao dinheiro que se gastou nele,mas eu como nao tinha altas espectativas acabei por ate me surpreender com o filme,o filme é longo mas acaba por se passar bastante bem,com interpretaçoes agradaveis e boas paisagens,poderia ser muito melhor e talvez desiluda quem o ve com espectativas demasiado elevadas,mas para mim foi um filme ate que se pode dizer bom

2.0/5antonio Junior antonio Junior 1 de Maio de 2009 às 07:09

Desastre...com uma Nicole Kidman em baixa de forma a passear os seus olhos azuis por uma historia épica com inumeros momentos criados quase artificialmente para dar alguma emoção no filme. Pobre!!!

1.0/5morcego2006 morcego2006 6 de Abril de 2009 às 13:27

Fraco, muito fraco.Perto de três horas de mau cinema. Kidman e Jackman a cairem completamente no ridicúlo.A realização também vai pelo mesmo diapasão, muita digitalização e pouco realismo.

Duarte Santos Duarte Santos 16 de Março de 2009 às 14:47

Bem parece que sou uns dos muito poucos que não gostou do filme. Fiquei com a sensacção que o principal objectivo não é entreter, mas sim divulgar a Austrália como destino Turistico. Nota pessoal 3

3.0/5Valverde Valverde 15 de Março de 2009 às 19:29

Se Baz Luhrmann tivesse ficado quietinho com as suas ambições ridiculas e não gastasse a grande maquina de produção cinematográfica utilizada em Australia, fazia talvez melhor figura, ninguém ouviria falar do filme, e isso era um golpe de génio.

salome salome 2 de Março de 2009 às 22:18

uma grande produçaõ que ao mesmo tempo que descreve muito bem a australia, desde as suas raizes, a cultura e a excelente fotografia das suas paisagens, nos leva atras no tempo de volta aos epicos como "e tudo o vento levou", boas interpretações, grande fotografia, excelente guarda roupa, banda sonora emfim um bom filme que vale o bilhete

5.0/5Liliana Liliana 23 de Fevereiro de 2009 às 19:24

Claro que ainda tem um longo (e brilhante) caminho pela frente! E, digo e repito: é um grande actor (e não é apenas por "ser boa pessoa e ter um palminho de cara"!!... que comentário redutor! :)

2.0/5Filipe Nunes Filipe Nunes 23 de Fevereiro de 2009 às 13:17

Jackman pode ser um "one-man-show", como ontem comprovou. Mas enquanto actor (de cinema, pois para a Broodway, pela amostra de ontem, parece ter talento), ainda tem um longo caminho pela frente. Pode ser boa pessoa, ter um palminho de cara que agrade às senhoras mas ainda tem que mostrar muito mais para ser de top (um Sean Penn é de top, um Seymour Hoffman é de top, um Nicholson é o top...)
Em relação ao filme, já li as opiniões que tens sobre ele anteriormente mas, sinceramente, acho um filme de plástico, do principio ao fim.

5.0/5Liliana Liliana 23 de Fevereiro de 2009 às 12:44

Filipe Nunes, nem vou comentar o que referiste acerca do filme, porque é a tua opinião. Mas desculpa lá , quanto ao comentário que fizeste em relação aos actores...não posso ficar calada!

Hugh Jackman é um excelente actor! (aconselho-te a ver "The Fountain" ou "The Prestige", entre vários outros filmes, e depois diz que ele não é um actor de Top...) Ele é dos melhores da sua geração!! Simplesmente não tem o reconhecimento que merecia ter!! (E ontem nos Oscares, esteve simplesmente fantástico! (conseguiu surpreender-me ainda mais...é um actor extraordinário!)

2.0/5Filipe Nunes Filipe Nunes 22 de Fevereiro de 2009 às 22:01

Filme que vive de clichés, ou melhor, é um cliché do principio ao fim. Já todos vimos filmes semelhantes, muitos dos quais melhores. Por exemplo, posso dizer que este Austrália é um "África Minha" mau, passado noutro continente. Nada se salva no filme, excepto as paisagens. Porque de resto...enfim, pessegada do princípio ao fim (um fim que tarda muito....), e com dois actores que fazem dó (especialmente Nicole Kidman uma vez que não vejo em Jackman qualquer qualidade para ser actor de top - está ao nível de um Jason Statham e outros que tais)
2/5

portubraga portubraga 28 de Janeiro de 2009 às 02:39

Eis um bom filme! o qual só peca por vezes pela aceleração da narrativa devido penso eu a pressão orçamental do Estúdio que o produziu. Concordo que alguns efeitos não estão muito bem conseguidos, mas apesar de tudo temos aqui uma linda história cheia de emoções, uma aventura histórica que vem defender as tradições arborígenes deste lindo continente. A não perder!

3.5/5Ana Ana 26 de Janeiro de 2009 às 14:28

The Curious Case of Bejamin Button é, para mim, um dos melhores filmes do ano e ultrapassa Austrália em todos os aspectos. No entanto, não diria que Austrália é pouco original. Era previsível que fosse meramente nomeado para uma das categorias técnicas, existe indubitavelmente uma "monotonia" nas nomeações.

5.0/5Liliana Liliana 25 de Janeiro de 2009 às 11:35

Hugo Gomes, não querendo continuar esta interminável discussão, apenas vou fazer um "pequeno" comentário...:)

Falta de originalidade? Até pode ser um argumento válido, não digo q não. Mas, comparar com o "Changeling" ou até mesmo com o excelente "The Curious Case of Benjamin Button"... o que trazem estes filmes de novo ao cinema? No caso do "Benjamin"...será a história? Olha q não, porque até mesmo a história não é assim tão original. O tema do rejuvenescimento, embora de forma diferente, já foi tratado, por exemplo, no "Youth Without Youth" de Francis Coppola (ou Segunda Juventude, usando o titulo português). E o Changeling, usando os teu termos, é demasiado "conservador" e muito pouco inovador... quer por isso dizer q são maus filmes? Claro q não! :)

2.5/5Hugo Gomes Hugo Gomes 24 de Janeiro de 2009 às 17:31

Lol, so não acerto o totoloto, eu sabia que Australia não tinha estofo para ser nomeado ao Oscar, excepto nas categorias tecnicas. Continuo a defender que se trata de um filme "copy and past" nada mais de unico no que já foi feito no cinema. Aconselho antes The Curious Case of Benjamin Button, Changeling e Frost/Nixon que possuem mais emoção e menos puar de lagrimas, também aconselhava Waltz with Bashir, para mim o melhor do ano 2008, até agora, mas para encontra-lo em exibição é muito dificil e antes demais existe o preconceito de ser uma animação misto documentario.

Australia não é mau filme, mas é um desinspirado e prova antes demais a falat de originalidade por parte de Hollywood.

3/5

5.0/5Liliana Liliana 24 de Janeiro de 2009 às 12:21

Sim Ana, era previsível. Para variar, existe uma grande "monotonia" nas nomeações. Mas...quem sou eu para contestar? :)

3.5/5Ana Ana 23 de Janeiro de 2009 às 20:54

É oficial, Austrália foi meramente nomeado para melhor guarda-roupa.

3.5/5Rolling-Murray Rolling-Murray 20 de Janeiro de 2009 às 15:14

Apesar do frenesim dos primeiros minutos do filme fazer lembrar, em parte, "Moulin Rouge" ou "Romeo+Juliet", a partir de certa altura Lurhmann segue quase à risca o manual de criação de um épico: está lá a fera amansada (Kidman), o indivíduo rude e carregado de testosterona, mas que revela ter coração (Jackman), o vilão mau como às cobras (Wenham) e não faltam até as (pelo menos 3) mortes heróicas para emocionar a plateia. Quererá isto dizer que é um mau filme? Longe disso, é um épico de qualidade que dá gosto ver no grande ecrã, faltando-lhe, no entanto, algum coração e um certo rasgo "luhrmiano".

4.0/5Adrix Adrix 17 de Janeiro de 2009 às 02:21

Bom, era o único que 'tava em exibição e me faltava ver ... confesso que estava á espera de ser uma seca, mas a verdade é que fiquei fascinado com o filme e queria mais.

Grandes imagens, grandes momentos, boas actuações e grande Nullah a dar um show no grande ecran ... é sem suvida um bom filme.

- vale o bilhete de cinema

5.0/5RAMONES89 RAMONES89 15 de Janeiro de 2009 às 17:31

concordo com o rntkcs
o filme é para 4,5*
eu fui velo ao cinema e não estva a espera de um filme assim foi muito bom

4.5/5rntkcs rntkcs 11 de Janeiro de 2009 às 12:26

Não é, nem perto nenhum filme acima do que se criou expectativas...como "E Tudo o Vento Levou", mas também não nenhum filme hollywoodesco como muito afirmam...quanto mais não seja pelo papel que a mulher, Nicole Kidman, tem, um papel onde a mulher não é um objecto que serve só para se despir...como costumam ser os filmes de Hollywood...aqui o papel da mulher vai muito mais além disso, papel que transmite sentimentos a quem quer veja. Como já foi referido o momento da musica com o Nullah.
O filme vale também pela fotografia extraordinária que nos da, e sem dúvida pelas interpretações de Nicole Kidman e Hugh Jackman.
Ou seja...o filme tem para mim um argumento bastante seguro, uma realização com bastante classe na mistura dos vários estilos cinematográficos, uma produção impecável, elenco a dar o seu melhor, e a fotografia do melhor mesmo...filme que vale a pena ir ao cinema, e ver e rever!!
4/4,5*

3.0/5Viciado Cinema Viciado Cinema 6 de Janeiro de 2009 às 22:38

Filme com um certo sabor nostalgico a dever e muito a Gone With the Wind de Victor Fleming, é uma fita sem identidade propria mas com uam boa noção de espectaculo.

3/5

3.0/5Mousinho Mousinho 6 de Janeiro de 2009 às 02:27

O filme correspondeu às minhas expectativas... negativas.
Um drama inteiro feito de "clichés", onde apenas se ressalva a grande Nicole Kidman (como já nos habituou) e a fotografia do filme com imagens bastante boas. Gostei apenas do inicio do filme e a parte em que a Nicole tenta cantar para o Nullah. Ao longo do filme, houve cenas que se tivesse um bocado mais cansado, tinha adormecido.

3.0/5jonas jonas 5 de Janeiro de 2009 às 02:39

Concordo plenamente com o user hugo gomes..o filme é oco por dentro e disfarça isso com grandes efeitos visuais..nao achei o filme nada de especial bem como as interpretações..e concordo que o melhor ainda esta para vir..australia nao tem categoria para ser nomeado para um oscar..para mim blindness mete este filme a um canto..ate o proprio dark knight...3*

5.0/5Liliana Liliana 4 de Janeiro de 2009 às 22:34

Ps. Quando disse: "Gostei do filme"...era deste filme q estava a falar, como é obvio! (só p esclarecer, e não restarem dúvidas :)

5.0/5Liliana Liliana 4 de Janeiro de 2009 às 22:29

Cansado, esqueci-me q não devo fazer qualquer tipo de referencia acerca do tão adorado e mediático "Dark Knight", pois se o faço aparece logo a "revolta" da imensa "legião" de Fãs... :) E sim, talvez seja mesmo o meu gosto pessoal "a chamar" (nunca fiz questão de dizer o contrário)!

Gostei do filme, pois claro! (e pela minha parte, já chega de comentários a este filme...já disse o que tinha a dizer)

Cansado Cansado 4 de Janeiro de 2009 às 22:06

Australia revela uma excelente elaboração a nivel produtivo e uma supresa ao decorrer do filme, visto que a sua qualidade começa num tom artistico sem fundamento, prolongando-se numa narrativa emocional intressante de se assistir, acabando num profundo epico que há muito nao se via. A nivel comercial é dos melhores do ano, mas não é o melhor, como foi referido pela Liliana (melhor que "The Dark Knight"? nao sera o teu gosto pessoal a chamar mais forte?)
A revelar tambem uma das melhores intrepretaçoes de Nicole Kidman que a meu ver vai ficar fora da corrida pelos oscares isto devido ao que ainda está para vir, preparem-se para as supresas...

4*

4.0/5Maaaaaaat Daaamooooon Maaaaaaat Daaamooooon 3 de Janeiro de 2009 às 19:52

Um filme muito bom, grandes interpretações! Adorei saber um bocado da historia de "Australia" e adorei o romance entre Nicole Kidman e Hugh Jackman, achei o filme muito bom, mas infelizmente nao ira ser nomeado para muitos oscares, provavelmente só para Melhor Guarda-Roupa e um ou mais outro, infelizmente o filme, nao foi muito aclamado pela critica americana, mas as audiencias adoraram e dá para ver pelo IMDB.
8.* (0/10)

5.0/5Liliana Liliana 31 de Dezembro de 2008 às 09:04

Hugo Gomes, vou quebrar a minha "rígida" promessa para debater o assunto. :) Em primeiro lugar, claro q tens todo o direito de defender as tuas ideias (é exactamente isso q eu faço), agora sou livre é de concordar ou não com elas (e neste caso, obviamente q não concordo). Aliás, as minhas ideias relativamente a este filme já estão bem definidas e explicitas nos meus comentários anteriores.

Sabes qual é o problema? É q infelizmente existe o terrível "mito" de q tudo o q é bonito por fora, tem de ser necessariamente "oco" por dentro... Mas isso nem sempre se aplica. E como disseste o filme é visualmente arrebatador, mas, segundo a minha perspectiva não é apenas isso.

Quanto aos filmes q sugeres, e afirmas serem superiores a este, vi alguns deles e efectivamente achei q são bons filmes (excepto o Dark Knight, a meu ver no máximo...é mediano), mas se são efectivamente "melhores" q este...isso já é muito relativo! :)

Ps. ff, obrigada pelo elogio...eu não diria tanto...diria apenas q gosto de cinema! :)

2.5/5Hugo Gomes Hugo Gomes 30 de Dezembro de 2008 às 23:43

Liliana - gosto de pessoas que saibam argumentar as ideias e ainda fazendo uso do site para debate-las.

Eu tb estou disposto a defender as minhas ideias e acho que Australia é como fosse um "pacote de batatas frtas da marca que toda a gente conhece", bonito por fora, pouco conteudo por dentro. è um filme visualmente arrebatador e que encontra sempre a noção de espectaculo, mas como disse é automatico, banal (digo pk isto, pk segue um modelo de fita já visto e revisto milhares de vezes) e conservador, devido a esses termos.

FF - The Wackness, The Dark Knight, Wall-E, Hunger, Bolt até Blindness, filmes de 2008 superiores a Australia, e o melhor ainda está para vir. Aliás queres apostar que Australia não será nomeado para Oscar de Melhor Filme?

Cumprimentos Cinefilos
Cinematograficamente Falando ...

4.0/5ff ff 30 de Dezembro de 2008 às 21:18

queria dizer algumas coisas: a liliana percebe imenso de cinema.
As nomeaçoes ainda nao foram anunciadas. Este filme é superior a qualquer um dos outros do ano anterior.
Não é um filme conservador, se nao ganhar é por questoes politicas.
É seguramente, o melhor filme de 2008, se nao, sugiram outro.

5.0/5Liliana Liliana 30 de Dezembro de 2008 às 18:47

Visto dessa forma, tenho de dizer : VIVA os filmes "conservadores" (adoro ser conservadora)!! Se todos os filmes fossem "banais e automáticos" como este..."perdia ainda mais tempo a ver cinema ! (LOL)

Ps. Desculpem a minha insistência, nos comentários, mas tenho a mania "estranha" de defender aquilo q de q gosto :), mas prometo q vou tentar controlar estes "impulsos" (risos) Até acho piada a esta diversidade de opiniões!

2.5/5Hugo Gomes Hugo Gomes 30 de Dezembro de 2008 às 18:27

Penso que só será nomeado para categorias tecnicas, é um filme demasiado conservador para uma Academia cada vez menos. A historia é banal, automatica e sem estofo. Penso que se encontra na mesma prateleira que Cold Mountain. O Epico romantico está dificil de ressuscitar.

3.5/5Ana Ana 30 de Dezembro de 2008 às 18:12

Os nomeados aos Óscares ainda não são "oficiais", contudo, já se ouviram imensos rumores de que filmes foram e não foram nomeados. Austrália, no entanto, ainda está a ser considerado, provavelmente será nomeado para, pelo menos, uma categoria.

dian dian 30 de Dezembro de 2008 às 15:01

só referir ao "docas" que os nomeados para os oscares nao sao sequer ainda conhecidos...

5.0/5PedrooCosta PedrooCosta 30 de Dezembro de 2008 às 14:54

amigo ff também eu queria que este filme ganhasse todos os oscares da academia mas ele nao esta nomeado para nem 1!!!!!

a academia está cada vez pior!!! L0l=)

3.5/5Ana Ana 30 de Dezembro de 2008 às 14:34

Não gostei nem desgostei deste filme. Por um lado, achei Austrália forçado, artificial e enfadonho, por outro achei paixonante, cativante e com certos pontos de interesse.
A primeira hora e meia de filme aparentava ser mais um western e foi mesmo essa parte que achei realmente maçadora e desinteressante. O argumento em si não era nada de especial e achei a história mesmo muito forçada. Gostei da banda sonora - música tipicamente "western" - mas o guião era um pouco repetitivo. A segunda hora e meia já me interessou mais, misturava romance com acção e guerra. Gostei mesmo mesmo muito das cenas de guerra, estavam visualmente deslumbrantes e estavam, indubitavelmente, bem introduzidas no filme, retratando maravilhosamente aquela época da guerra, de modo que eu própria aprendi muito. Gostei do romance, era sem dúvida cativante e envolvente. Mas no fim encontrei muitas repetições desnecessárias, três horas de filme que podiam ter sido reduzidas a duas horas e meia ou simplesmente duas horas.
Gostei do elenco do filme, especialmente da interpretação de Nicole Kidman como a fina aristocrata inglesa, Lady Sarah Ashley. Gostei da maneira como Kidman desenvolveu a personagem à medida que a história se evoluía - no principio do filme a personagem é refinada, snobe e senhoril, duma vaidade e arrogância enorme mas à medida que a história se desenrola, a personagem torna-se sentimental, dócil, sensata, sensível e duma honestidade e simplicidade incrível. Hugh Jackman também estava muito bem na personagem, muito misterioso e enigmático. Nullah é uma daquelas personagens irreverentes e peculiares que possuem imensa magia - uma criança aborígene, bondosa, sensível e muito simples, que relata uma história muito confusa duma forma tão... natural! Uma excelente interpretação que o pequeno actor deu.
Adorei a banda sonora e a maneira brilhante como se encaixava no filme. "Over the rainbow" era o hino do filme, a música que movia Nullah, a música que movia o filme, tornava-o muito mais activo, muito mais profundo e belo.
A música que é mais conhecida por ter sido cantada por volta de 1939 pela incomparável Judy Garland no filme "The Wizard of Oz", filme esse duma inocência imensa que reserva mensagens tão puras e profundas (mensagens essas que também são transmitidas em Austrália). "Over the rainbow" era a canção que Dorothy Gale, a personagem principal de "O feiticeiro de Oz", cantava, um pouco de arco-íris era a única cor que encontrava no Kansas, contudo, Kansas era a sua casa e não havia lugar como a sua casa e ela sempre teve o poder de lá estar. A minha parte preferida é a parte em que Nullah está no cinema, a assistir à obra-prima protagonizada por Judy Garland, e ele associa todos os problemas da pobre Dorothy aos seus problemas e receios. "Over the rainbow" é a canção do sonho e da esperança, a canção que deixa sempre um friso de arco-íris algures. A canção de Austrália.
Não gostei da atmosfera do filme em algumas cenas. Às vezes era sombria, lugubre, macabra e mística... outras vezes era mais profunda e interessante. Sendo sempre muito inconstante.
Gostei dos cenários e das paisagens, às vezes pareciam decerto artificais mas havia sempre alguma beleza a desabrochar no filme.
Tem um certo interesse, com certeza. Possuí alguns factos históricos interessantes. Fornece-nos um belo retrato da Australia em 1939, uma imagem das tribos aborígenes e alguma da sua "magia". Tem uma banda sonora muito interessante. No entanto, havia algum vazio no argumento às vezes, outras vezes muitas repetições... achei o filme um pouco inconstante - de repente estava tudo bem passado um pouco já estava tudo mal! E acabava por se andar sempre assim.
3.5/4.0. Houve ali uma coisinha ou outra que não funcionou para mim.

5.0/5Liliana Liliana 29 de Dezembro de 2008 às 18:35

Ps. Henrique...algumas sim, mas nem todas as mensagens q foram transmitidas aprendemos em crianças (pelo menos, nem todas as que eu "captei" (risos)

5.0/5Liliana Liliana 29 de Dezembro de 2008 às 18:08

Esqueci-me de referir que a história do filme é apresentada de uma forma inocente, simples e sem "complicações", pois é contada por uma criança (Nullah). Frases como esta: "contar histórias é o mais importante de tudo; é assim que guardamos sempre as pessoas que nos pertencem", podem ser extremamente simples, mas significam muito. (Pode não parecer mas existe beleza na simplicidade :) E sim, este filme tem tudo para que digam: "eu já vi isto antes", e sim, eu também já vi. Mas não desta forma. Este filme conseguiu despertar em mim algo q não é habitual: conseguir ver o filme como se ainda não tivesse visto nada igual. E parabéns ao Baz Luhrmnnan por conseguir transmitir simplicidade, sinceridade e simultaneamente exuberância! (isto sim é arte!)

Henrique Henrique 29 de Dezembro de 2008 às 17:58

De certa forma concordo com o João. Depois de ter assistido a este filme não posso dizer que tenha saído sequer satisfeito da sala. Apoiado num argumento realmente interessante, Baz Luhrmann, desta vez, inspirando-se num drama forçado e numa comédia barata, deitou por terra as muitos boas intenções desta história.

E Liliana, as mensagens que este filme transmitiu aprendemos ainda quando somos crianças, e talvez tenha sido mesmo essa a intenção do realizador, reduzindo a verdadeira essência da saudade ao seu plano mais primário.

Muito boa interpretação de Nicole Kidman.

5.0/5Liliana Liliana 29 de Dezembro de 2008 às 12:35

Eu compreendo q não tenham gostado do filme, é normal existirem opiniões divergentes... Mas dizerem q o filme tem uma "sensibilidade rápida e superficial que toca corações curtos" (???)(então a parte dos "corações curtos" era mesmo dispensável, na minha opinião)

Não concordo nada com isso...acho q o filme tem uma sensibilidade muito própria, longe de ser superficial, antes pelo contrário, não é directa. Sem cair nos floreados excessivos do melodrama, encontra-se nos pequenos gestos, nos pequenos pormenores e na simplicidade de vários momentos q para muitos podem passar despercebidos no meio de tanta beleza "visual" e "exterior" (é pena q só vejam esse lado)...mas realmente cada pessoa vê o filme de forma diferente...A mim, o filme transmitiu várias mensagens... Mas isso sou eu, e é possivel q veja coisas onde elas não existem (risos)

João João 29 de Dezembro de 2008 às 01:45

Estava a espera de muito melhor também. É um filme qu de arte tem muito pouco, e de comercial tem tudo. Sem sair do convencional romance de Hollywood, evoca assuntos que têm um tanto ou quanto de profundo ou de bonito, como a relação entre a criança e o velho, e trata-os com uma sensibilidade rápida e superficial que toca corações curtos.
É um filme que se vê muito bem, mas que fica por aí, ganhado principalmente na fotografia e nos cenários.
Muito aquém de Moulin Rouge, do mesmo realizador.

xana xana 28 de Dezembro de 2008 às 21:03

Bem... acho que tenho de discordar com tds estes comentários... não sei s fui a única mas estava à espera que o filme fosse mt melhor. Julgo que ficou mt aquém das expectativas. Visualmente o filme é realmente fantástico, tem uma fotografia extraordinária, mas pouco mais. Achei-o extremanente pobre de argumento, faltou sempre qq coisa... acho que havia na história, na aventura mt mais a explorar... tem pouca magia esta aventura!

4.0/5ff ff 28 de Dezembro de 2008 às 01:35

a musica somowhere over de rainbow é espectacular

4.0/5ff ff 28 de Dezembro de 2008 às 01:32

poderia referir tudo o que já referiram acerca do filme. Porem, apenas digo, como minha opiniao, que se este filme não ganhar o oscar, quem ganhara? 5 estrelas

5.0/5Telma Telma 27 de Dezembro de 2008 às 20:26

Adorei.
5*

3.5/5Paula Pintassilgo Paula Pintassilgo 27 de Dezembro de 2008 às 19:25

Assistir à antestreia do “Austrália” foi divertimento puro. Guardo essa classificação para filmes que me provoquem o riso e o choro catárticos: “Austrália” cumpre a função. É assim com os filmes de Baz Luhrmann, ou nos divertimos ou nos aborrecemos de morte, a sua exuberância não permite meias-medidas.
Durante 166 minutos assistimos aquilo que um comentador do Times chamou, duma forma muito incisiva, um filme feito ao estilo de Dr. Frankenstein: “assembled from the leftover body parts of earlier movies.” Há de tudo nesta longa peça de arte kitsch, desde “ E tudo o vento levou” e “O Feiticeiro de Oz” (curiosamente Oz é uma forma informal de referir a Austrália); passando por “Rio Vermelho”, “A Rainha Africana” e “O gigante”; continuando com “África Minha”, “Império do Sol” e “Pearl Harbour”. Então porque nos diverte?
Satisfaz o desejo nostálgico de ver pessoas lindas em belos cenários, é puro escapismo, algo que nos tem sido negado no cinema actual.

5.0/5PedrooCosta PedrooCosta 27 de Dezembro de 2008 às 00:34

Simplesmente, BRILHANTE!!!!!! Adorei este filme, com as grandes interpretaçoes principalmente dos 3 principais. é o filme que á saida do cinema via-se que muita gente tinha os olhos de chorar.

Tal como a Liliana disse a música "somewer over the rainbow" é expectacular.

5* sem a minima duvida

3.0/5Mónica Casanova Mónica Casanova 26 de Dezembro de 2008 às 23:41

Gostei, é um filme que se vê muito bem. Excelentes interpretações, mas não gostei de um aspecto, há muitas paisagens e cenários que se vêem, nitidamente, que são feitos a computador e isso acaba por tirar alguma beleza ao filme.

5.0/5Liliana Liliana 26 de Dezembro de 2008 às 22:58

Que filme...fiquei sem palavras! Baz Luhrmann conseguiu reinventar o conceito de épico!

É excelente como drama, western, aventura, romance, acção, ou até como filme de guerra (pois passa-se na época da Segunda Guerra Mundial) e com uma pitada de comédia! Mas que mistura de géneros genial! Recheado de momentos enternecedores e brilhantes. E com uma fotografia deslumbrante...Magnificas interpretações, especialmente de Brandon Walter (Nullah), de Hugh Jackman (confesso, era o q eu esperava, porque considero-o um excelente actor :) ) e fiquei surpreendida com a Nicole Kidman (adorei vê-la neste filme; sempre com o seu caracteristico "ar delicado", desempenhou brilhantemente o papel de mulher "fina" e elegante, mas cheia de "garra" e determinação! Adorei vários momentos, mas estou-me a lembrar por exemplo, do momento em q ela conta a história do "Feiticeiro de OZ" e canta p o "Nullah"...e essa música é linda!)

Brilhante em todos os sentidos! 5*