(2008)

poster

a crítica

Com um target bem definido, «Crepúsculo» propõe uma sofisticação interessante ao universo dos vampiros, mantendo algumas das principais características que nos fascinam, quer nas adaptações de Murnau e de Coppola ou mesmo de John Carpenter. «Crepúsculo» falha apenas na obsessão em querer ser à força um trágico romance teenager, que se esquece do ingrediente principal das películas de vampiros: o terror.”
Paulo Figueiredo, Cinema PTGate
Mérito de Catherine Hardwicke, que demonstrou extrema subtileza na abordagem das crises existenciais e amorosas dos jovens (...) Eis a coexistência entre a fantasia e a realidade de forma madura e apaixonante.”
Jorge Pinto, Premiere