(2008)

poster

Sugerir blog


Se achar que merecemos, p.f. coloque um link para esta p‡gina. Agradecemos o seu contributo!

Para submeter um link faça login ou registe-se

blogs

3.5/5- The Boy in the Striped Pyjamas (2008)
O Rapaz do pijama às riscas prima pela simplicidade e ingenuidade de Bruno e pela amizade dos dois rapazes. Só na ingenuidade do argumento e na falta de uma linha narrativa mais forte, o filme encontra um mal maior.(...)a meu ver, John Boyne, o escritor deste bestseller, ficou contente com o resultado e, todos nós, ficamos rendidos com um final que nos deixa sem palavras e de boca aberta.”
Cinema as my world, 29/Jun/2010
3.5/5O Rapaz do Pijama às Riscas, por Tiago Ramos
O Rapaz do Pijama às Riscas prima pela simplicidade, lado emocional e ingénuo do argumento, mas apesenta algumas incoerências factuais (...) No entanto, não é isso que tira o interesse ou o merecedor visionamento que a película de Mark Herman deva merecer.”
Split Screen, 9/Mar/2009
4.0/5The Boy in the Striped Pyjamas (2008)
Mesmo sendo um filme com certas irregularidades narrativas, como a falta de solidez na história de amizade entre Bruno e Shmuel, tem o mérito de conseguir captar a premissa na perfeição e apresentar um final duro, puro e emocionante que deixará qualquer um sem palavras.”
Cinematograficamente falando, 3/Mar/2009
3.5/5[Cinema] O Rapaz do Pijama às Riscas
Não ficará nos anais da história como um grandioso filme, mas servirá para uma das mais importantes missões da actualidade: que este assunto não caia no esquecimento.”
Para Acabar de Vez com a Cultura, 10/Fev/2009
4.0/5The Boy in the Striped Pyjamas
Baseado na obra de John Boyne com o mesmo nome desta fita, The Boy In The Striped Pajamas mostra-nos (e bem) aquela época de horrores sobre o olhar de uma criança. A representação fantástica de Butterfield dá um brilho especial a este filme realizado por Mark Herman.”
Golden Ticket, 8/Fev/2009
4.0/5The Boy in the Striped Pyjamas
Não deixem escapar este filme. Por todos os motivos, vale bem a pena. Se no final não conseguirem falar, reagir, respirar,... juntem-se ao clube.”
Depois Falamos, 30/Jan/2009