(2009)

poster

a crítica

É muito mau. Um ramalhete de bons actores subordinados a uma história apalhaçada com pretensões cómico-satíricas”
Eurico de Barros, Diário de Notícias
(...) no fundo, aquilo de que o filme nos quer falar é da erosão pós-moderna da figura do herói e da nossa (in)capacidade de a recriarmos, pelo simples facto de acreditarmos nela. E isso é quanto chega para elevar este filme acima da média geral.”
Vasco Baptista Marques, Expresso