As Ervas Daninhas (2009)

Les herbes folles

poster

Sinopse

Uma mala perdida e depois encontrada abre a porta dá início à romântica aventura de Georges e Marguerite. Depois de analisar os documentos da proprietária, Georges vê-se numa situação difícil para devolver o que encontrou à polícia. E nem sequer Marguerite poderá recuperar a mala sem se encher de curiosidade sobre quem poderá tê-la encontrado. À medida que caminham pelos protocolos sociais dos agradecimentos, as suas vidas outrora banais encher-se-ão de turbulência.



Visitantes
Visitantes
3.5 (25 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
4.0 (8 votos)

Detalhes

Ano: 2009
Estreia nacional: 08 de Abril de 2010 (#18 na 1ª semana)

País: França, Itália
Género: Drama
Duração: 104 min.
Classificação: M/12Q
Distribuidora: Atalanta

Realização:
Alain Resnais

Intérpretes:
André Dussollier, Sabine Azéma, Emmanuelle Devos

Outros títulos:
Wild Grass

Links:
www.lesherbesfolles-lefilm.com (site oficial)
www.imdb.com/title/tt1156143

A crítica

Bela aposta, belo triunfo.”
Vasco Baptista Marques, Expresso
[Resnais] volta a dar ao mundo uma dimensão que nos aparece como irrealista - embora, na realidade, tenha a ver com um realismo ligado a um comportamento fantasista dos intérpretes. E estes são uma... mais ››
Manuel Cintra Ferreira, Expresso

Blogs

4.0/5"Les Herbes Folles" por César Nóbrega
O amor, a paixão, a raiva, o ódio, o desprezo são tudo peças de um puzzle construído com muito cuidado. Ao invés de deixar o público adivinhar o que faz alguém amar ou odiar, Resnais baralha e dá de novo, quem ama devia odiar e vice-versa.”
Antestreia, 12/Abr/2010
3.5/5Les Herbes Folles
Les Herbes Folles desenvolve de forma lírica (...)descrito de forma ousada e bizarra (...)”
Cinematograficamente falando, 11/Abr/2010
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

Flávio Gonçalves Flávio Gonçalves 20 de Abril de 2010 às 21:28

kimERA, leia a biografia de Resnais.

3.5/5kimERA kimERA 20 de Abril de 2010 às 13:31

O filme é bom mas não percebo o porquê dum prémio atribuído no festival de Cannes pelo excepcional contributo para o cinema.