Fantasia Lusitana (2010)

poster

Sinopse

A propaganda imaginada e imaginária do salazarismo, durante a II Grande Guerra, pregava a proeza de uma neutralidade devida ao génio de Salazar. Segundo essa propaganda, que proclamava a ausência da guerra no meio da guerra, mesmo com o fluxo de refugiados que chegava a Lisboa, Portugal era um paraíso de paz e tranquilidade, um «oásis de paz» totalmente alheio a uma guerra que só dizia respeito aos outros. A sensação que a propaganda transmitia era a de uma guerra que só afectava os portugueses na medida das dificuldades de sobrevivência. A propaganda, elevada a extremos nas crónicas do Jornal Português, ajudou a criar uma espécie de inconsciência protectora que seria cómica se não fosse trágica.



Visitantes
Visitantes
3.8 (2 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
3.3 (3 votos)

Detalhes

Ano: 2010
Estreia nacional: 29 de Abril de 2010

País: Portugal
Género: Documentário
Duração: 64 min.
Classificação: M/6Q
Distribuidora: Midas Filmes

Realização:
João Canijo

Intérpretes:

Links:

A crítica

(...) as imagens falam com uma eloquência extrema (...) é a sua reorganização que lhe empresta um potencial de assombro que certamente funcionará com infinitas reverberações junto de cada espectador”
Jorge Leitão Ramos, Expresso

Blogs

4.0/5Fantasia Lusitana, por Tiago Ramos
Saindo da ficção e centrando-se num documentário, inicialmente sugerido como sendo sobre os refugiados em Portugal nos anos 40, João Canijo imprime o seu cunho pessoal numa obra que só pelo seu título - Fantasia Lusitana - indica qual o seu objectivo.”
Split Screen, 18/Mai/2010
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.


Nenhum comentário adicionado.