(2010)

The Kids Are All Right

poster

Sinopse

Nic (Annette Bening) e Jules (Julianne Moore) estão casadas e partilham uma acolhedora casa no Sul da Califórnia com os seus filhos adolescentes, Joni (Mia Wasikowska) e Laser (Josh Hutcherson). À medida que Joni se prepara para partir para a Universidade, Laser, com 15 anos, pressiona-a para que lhe faça um grande favor: que o ajude a encontrar o pai biológico de ambos - foram concebidos através de inseminação artificial.

Embora algo contrariada, Joni honra o pedido do irmão e consegue entrar em contacto com o "bio-pai" Paul (Mark Ruffalo), um bem-disposto empresário da restauração. Dão por si atraídos pelo estilo descontraído do solteirão - especialmente em contraste com Nic, uma médica de princípios que há muito estabeleceu as regras lá em casa. Jules, que tem andado à procura de uma nova carreira em paisagismo, sente também uma empatia com Paul e à medida que ele vai entrando nas suas vidas, um novo e inesperado capítulo inicia-se para todos, ao mesmo tempo que laços familiares são definidos, redefinidos e re-redefinidos.



Visitantes
Visitantes
3.6 (65 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
3.4 (8 votos)

Detalhes

Ano: 2010
Estreia nacional: 18 de Novembro de 2010

País: EUA
Género: Comédia, Drama
Duração: 106 min.
Classificação: M/16
Distribuidora: Castello Lopes

Realização:
Lisa Cholodenko

Intérpretes:
Annette Bening, Julianne Moore, Mark Ruffalo, Mia Wasikowska

Links:
filminfocus.com/film/the_kids_are_all_right (site oficial)
www.castellolopesmultimedia.com/osmiudosestaobem (site oficial)
www.youtube.com/watch?v=KGUlQQzUkb8 (trailers)
www.facebook.com/TheKidsAreAllRight
www.imdb.com/title/tt0842926

A crítica

(...) lançada a trapalhada em tom ligeiro, e à medida que cada personagem vai perdendo as coordenadas, o filme deixa cair as promessas iniciais, recolhendo-se a pouco e pouco nos lugares comuns de um... mais ››
Francisco Ferreira, Expresso

Blogs

ver todos
2.5/5Os miúdos Estão Bem (bué de fitas)
houve duas ou três cenas fáceis de prever antes de acontecerem, e mesmo que o colorido do tema mude um pouco a forma como é visionado, o filme tem pouca novidade, tornando-se suportável pela galeria de personagens, bastante credíveis, e nada mais. esperava melhor.”
Bué de fitas, 19/Set/2011
4.0/5The Kids Are All Right (2010)
Porém é no seu argumento (da autoria de Stuart Blumberg), actual e brilhante, como também intrinsecamente paródico que se torna na cereja no topo de uma produção independente e bem sucedida que este The Kids Are All Right, pena que deixou fugir o Óscar de Melhor Argumento Original da cerimónia deste ano.”
Cinematograficamente falando, 23/Mar/2011
4.5/5Portal Cinema - The Kids Are All Right
The Kids Are All Right” é uma fantástica produção independente que tem todas as possibilidades de ser nomeada ao Óscar de Melhor Filme.”
Portal Cinema, 8/Dez/2010
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

3.5/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 4 de Abril de 2012 às 02:39

Não diria que isto seja um drama, talvez mais para a comédia. Tem que se avaliar é o filme e não como poderia ser doutra forma, e tendo em conta o que foi apresentado está aqui um filme fluído e com uma premissa engraçada. Vale a pena!

1.5/5Mariana Mariana 9 de Maio de 2011 às 06:27

subscrevo totalmente a Liliana!

4.0/5Liliana Rabuja Liliana Rabuja 16 de Março de 2011 às 14:40

Lisa Cholodenko é nova nestas andanças e, por conseguinte, quis causar impacto.

Ah e tal, vou juntar um casal lésbico, com uma pitada (literalmente!) de dador de esperma, dois putos giros, um dos quais com um nome que nem um cão merecia ter (Laser... sim, Laser...), uma marinada de estereótipos e clichés cansados, numa cozedura de 106 minutos sob o sol de LA.

Foi fácil, barato e deu milhões! E ai de quem se atreva a criticar o filme! É logo acusado de homofobia! - exactamente aquilo que a realizadora esperava! Quando alguns nasceram já ela comia broa! Porque uma coisa é certa: basta retirarmos da equação o factor "casal lésbico" e o que nos sobra? Mais um drama familiar reles como tantos outros que por aí circulam...

Bah.