(2009)

Solitary Man

poster

Sinopse

Ben Kalmen, um cinquentão nova-iorquino, é um ex-vendedor de sucesso de automóveis, que, através das suas más decisões, deitou abaixo o negócio. Ben está prestes a regressar, mas algumas das motivações que o levaram a ceder no seu trabalho ameaçam de novo arrasá-lo. Está divorciado de Nancy, sua namorada desde a faculdade e uma das pessoas que o conhece melhor que ninguém. Apesar de ainda ter tempo para sair com a sua filha Susan e o seu adorado neto, ela corta o contacto quando descobre que o pai anda a encontrar-se com uma das suas amigas. A namorada dele, Jordan, é a filha de um empresário muito influente, que lidera uma empresa de construção automóvel. Se Ben conseguir conter a sua arrogância por mais algum tempo, ele vai conseguir regressar em grande. Mas as circunstâncias colocam-no muito próximo da rapariga em que ele não deve tocar, deixando tudo em perigo.



Visitantes
Visitantes
2.6 (12 votos)
O meu voto
Login / Registo

Detalhes

Ano: 2009
Estreia nacional: 16 de Setembro de 2010 (#16 na 1ª semana)

País: EUA
Género: Comédia, Drama, Romance
Duração: 90 min.
Classificação: M/12
Distribuidora: ZON Lusomundo

Realização:
Brian Koppelman, David Levien

Intérpretes:
Michael Douglas, Susan Sarandon, Danny DeVito, Mary-Louise Parker, Jesse Eisenberg

Links:
www.solitarymanmovie.com (site oficial)
trailers.apple.com/trailers/independent/solitaryman (trailers)
www.imdb.com/title/tt1294213

Blogs

4.0/5O Eterno Solteirão, por Carlos Antunes
Michael Douglas é o filme, é o personagem brilhante que só se sabe afundar mais e mais, mas que nos leva a conceder-lhe um aplauso sentido pela dignidade que protege mesmo ao longo da linha descendente.”
Split Screen, 31/Out/2010
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

2.0/5Valverde Valverde 1 de Outubro de 2010 às 16:24

Em termos práticos estamos perante um filme que já é mais do que visto, a única novidade nisto tudo é ter Michael Douglas que ultimamente têm andado numa de representar personagens sentimentais. O overacting do actor neste filme até é compreensível, pois o seu personagem é tão igual a tantos outros que já foram feitos, a grande questão aqui é: Se querem voltar a pôr Michael Douglas num grande papel, ponham-no a fazer de arrogante e manipulador, pois é nisso que ele é bom.