(2011)

poster

a crítica

A facilidade com que em 8 anos chegámos ao quarto filme desta dispendiosa saga, é gritante e ainda por cima, de todos os filmes, o que ainda nos faz palpitar de emoção continua a ser o primeiro, de tão refrescante em termos de aventura que foi em 2003. Mas mais do que isso, «Piratas das Caraíbas: Por Estranhas Marés» perdeu, com a erosão dos seus personagens, a proximidade com o público que já olha para Jack Sparrow, não como um herói electrizante, mas um chato que de tempos a tempos lá aparece para ganhar uns trocos com uns quantos truques e malabarismos. É caso para dizer que nesta altura, um filme dos «Piratas das Caraíbas» é sinónimo de que o circo chegou novamente à cidade. E como em todos os espectáculos, era crucial que a série soubesse reinventar-se para manter o interesse dos seus espectadores. Porém com o resultado de «Piratas das Caraíbas: Por Estranhas Marés», chegamos à conclusão que este filme é mais um baralhar e voltar a dar, explorando até à exaustão a necessidade que o público tem em reencontrar os seus heróis de referência.”
Paulo Figueiredo, Cinema PTGate
Esperavam-se alterações, mas não há nada de novo: um excesso de personagens e ideias coladas aos protagonistas, a mesma estrutura narrativa, o mesmo humor desajeitado, uma previsibilidade total.”
Francisco Ferreira, Expresso