Filme Socialismo (2010)

Film socialisme

poster

Sinopse

Uma sinfonia em três movimentos.

Coisas como:

O Mediterrâneo, um cruzeiro

Conversas, em várias línguas, entre os passageiros, quase todos de férias…

Um velho, um criminoso de guerra (Alemão, Francês, Americano, não sabemos), acompanhado pela neta…

Um filósofo francês famoso (Alain Badiou).

Um representante da polícia de Moscovo.

Uma cantora americana (Patti Smith),

Um velho polícia francês,

Um burocrata reformado das Nações Unidas

Um antigo agente duplo,

Um embaixador palestiniano,

É uma questão de ouro, como era antes dos Argonautas,

mas o que se vê (a imagem) é diferente do que se ouve (a palavra).

As nossas humanidades.

Visitas a seis locais de verdadeiros ou falsos mitos: Egipto, Palestina,

Odessa, Hellas, Nápoles, Barcelona.

A nossa Europa.

De noite, uma irmã e o irmão mais novo convocam os pais

a comparecerem no tribunal da sua infância.

Um deles tem de aparecer na televisão como candidato às eleições locais.

As crianças pedem explicações sérias sobre temas como Liberdade, Igualdade e Fraternidade.



Visitantes
Visitantes
3.3 (7 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
3.5 (4 votos)

Detalhes

Ano: 2010
Estreia nacional: 05 de Março de 2011
Estreia mundial: 19 de Maio de 2010

País: Suiça, França
Género: Drama
Duração: 101 min.
Classificação: M/12
Distribuidora: Midas Filmes

Realização:
Jean-Luc Godard

Intérpretes:
Catherine Tanvier, Christian Sinniger, Jean-Marc Stehlé

Outros títulos:
Film Socialism

Links:
www.filmsocialisme.com (site oficial)
www.imdb.com/title/tt1438535

A crítica

Certezas, só uma: FILME SOCIALISMO não é mais um igual a tantos outros.”
Francisco Ferreira, Expresso
(...) avulsa justaposição de uma série de efeitos visuais, sonoros e retóricos de superfície”
Vasco Baptista Marques, Expresso

Blogs

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

1.5/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 14 de Março de 2013 às 12:47

O filme é belíssimo em termos cinematográficos, mas a mensagem que pulsa no seu cerne é quase impenetrável.

Esquivo é a palavra que, na minha opinião, melhor o define.

:)