Lixo Extraordinário (2010)

Waste Land

poster

Sinopse

Filmado ao longo de dois anos (Agosto de 2007 a Maio de 2009), Lixo Extraordinário acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz num dos maiores aterros sanitários do mundo: o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de separadores de materiais recicláveis, com o objectivo inicial de retratá-los. No entanto, o trabalho com estes personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar as suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano.



Visitantes
Visitantes
3.0 (10 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
2.5 (4 votos)

Detalhes

Ano: 2010
Estreia nacional: 28 de Abril de 2011

País: Brasil, Reino Unido
Género: Documentário
Duração: 99 min.
Classificação: M/6Q
Distribuidora: Midas Filmes

Realização:
Lucy Walker, Karen Harley, João Jardim

Intérpretes:
Vik Muniz

Links:
www.wastelandmovie.com (site oficial)
www.lixoextraordinario.net (site oficial)
www.facebook.com/lixoextraordinario
twitter.com/#!/wastelandmovie
www.imdb.com/title/tt1268204

A crítica

(...) conseguirá revelar personagens incríveis do quotidiano sem cair em apreciações lisonjeiras e retratos complacentes da miséria. Contudo, funciona sempre à mesma velocidade linear, fiel a um... mais ››
Francisco Ferreira, Expresso

Blogs

4.0/5Lixo Extraordinário, por Carlos Antunes
Como disse Robert Motherwell, a Arte é muito menos importante do que a Vida mas a Vida estaria empobrecida sem a Arte. Lixo Extraordinário é a demonstração dessa frase.”
Split Screen, 19/Jun/2011
3.0/5Lixo Extraordinário, por Tiago Ramos
Lixo Extraordinário tinha tudo para ser medíocre e apenas não o chega a ser porque os catadores enchem o ecrã através do seu olhar e experiências. É neles que podemos ver humanidade e sinceridade e um poder quase redentor da criação como forma de aumentar auto-estima. São eles que camuflam o irritante factor auto-promotor da figura arrogante de Vik Muniz.”
Split Screen, 28/Abr/2011
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

4.0/5kimERA kimERA 28 de Janeiro de 2013 às 00:11

Depois de ter visto uma exposição de Vik Muniz no CCB obviamente percebi a crítica social, o que não reparei foi nesta parte mais humanitária no processo de construção. Não tem planos fantásticos nem uma técnica apurada com a câmara, ainda assim o tema é excelente e isso faz um filme com conteúdo.

3.5/5Diana Garcia Pereira Diana Garcia Pereira 28 de Setembro de 2011 às 19:48

A realização não é a melhor, mas vale pela iniciativa que é extremamente criativa e amiga da vida. Tanto a favor da natureza, como para o lado do ser humano.

Neste documentário o artista faz do lixo uma arte, deixando assim de ser o lixo que deitamos diariamente para o contentor, poluindo constantemente o planeta.

Super interessante!