A Pele Onde Eu Vivo (2011)

La piel que habito

poster

Sinopse

Desde que a sua mulher ficou queimada num acidente de automóvel que o Dr. Robert Ledgard, um eminente cirurgião plástico, se interessa pela criação de uma nova pele, com a qual ele a poderia ter salvo. Ao fim de doze anos, conseguiu gerar no seu laboratório uma pele que é sensível a carícias, mas um verdadeiro escudo contra todo o tipo de agressões, externas e internas, às quais o nosso mais extenso órgão é sujeito. Para a obter, usou todas as possibilidades fornecidas pela terapia celular. Mas para além de anos de estudo e experimentação, Robert necessitava de uma cobaia humana, um cúmplice e nada de escrúpulos. Escrúpulos nunca foram um problema, não faziam parte do seu carácter. Marilia, a mulher que toma conta dele desde o dia em que nasceu, é a sua mais fiel cúmplice. Quanto à cobaia humana... Todos os anos, dezenas de jovens de ambos os sexos desaparecem de casa, em muitos casos de livre vontade. Um deles acabará por partilhar a esplêndida mansão de El Cigarral com Robert e Marilia, mas sem ser de livre vontade...



Visitantes
Visitantes
3.7 (30 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
2.9 (8 votos)

Detalhes

Ano: 2011
Estreia nacional: 17 de Novembro de 2011 (#5 na 1ª semana)

País: Espanha
Género: Drama
Duração: 117 min.
Classificação: M/16Q
Distribuidora: PRIS Audiovisuais

Realização:
Pedro Almodóvar

Intérpretes:
Antonio Banderas, Elena Anaya, Blanca Suárez

Outros títulos:
The Skin I Live In
A Pele que Habito (Brasil)

Links:
www.imdb.com/title/tt1189073

A crítica

Almodóvar parece ficar aqui refém da obra que criou, filmando de modo sempre controlado um exercício que beneficiaria de uma mise en scène menos «compostinha», de uma montagem menos «mastigada» e de... mais ››
Vasco Baptista Marques, Expresso

Blogs

1.0/5A Pele Onde Eu Vivo, por Carlos Antunes
A Pele Onde Eu Vivo revela-se o ponto mais vincado de um declínio autoral de Almodóvar, um realizador em replicação dos seus próprios métodos, vícios e temas.”
splitscreen-blog.blogspot.pt, 19/Ago/2012
4.5/5La Piel que Habito
Tão diferente mas tão próprio, é o que se pode retirar da nova obra de Pedro Almodôvar, que após abandonar o seu género maneirista por excelência, entrega-se a um território desconhecido, o terror, para nos oferecer os seus fantasmas mas desta vez servidos numa bandeja diferente.”
Cinematograficamente falando, 9/Dez/2011
3.5/5«A Pele Onde eu Vivo» – É mais do mesmo
O filme não surpreende, mas também não desilude. “A Pele onde eu Vivo” poderá não agradar a muitos fãs da obra de Pedro Almodóvar, mas não deixa de ser um filme interessante de se ver.”
www.cinema7arte.com, 1/Dez/2011
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

3.5/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 2 de Setembro de 2012 às 16:51

Um filme tão bizarro quanto magnético que, por mais imperfeições e falhas que tenha, é capaz de prender a atenção do espectador de fio a pavio.

:)

4.0/5jonas jonas 24 de Abril de 2012 às 20:22

Aprovadissimo! Alias, Almodovar está sempre aprovado.. Grande argumento e grande realização 4*