(2011)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

3.5/5Nuno Figueiredo Nuno Figueiredo 13 de Fevereiro de 2012 às 11:34

É um filme tipicamente Americano... vê-se muito bem, passa uma mensagem ate muito boa de como funciona os bastidores das eleições nos E.U.A

3.5/5jonas jonas 21 de Janeiro de 2012 às 19:45

aprovado mas nada de especial. 3.5*

3.0/5Otávio Otávio 27 de Dezembro de 2011 às 01:23

Certamente, o diálogo falou pelo filme. Na minha opinião, esta foi a pior direção de George Clooney. Sinceramente, ele não teve influência nenhuma na qualidade do filme. Interpretou o traidor Mike Morris, dirigiu o filme de forma apressada deixando muita coisa passar e não fez nada no roteiro. Quem chamou a atenção no roteiro, foi o próprio escritor da peça Beau Willimon, pelo diálogo construído, que nos transmite várias mensagens que é claro e evidente que já conhecemos todas. O filme nos faz questionar, mas muito pouco para uma obra que era para ter o potencial de um documentário sobre política.

Muitas cenas feitas foram desnecessárias. Percebi que o diretor gastou muito tempo em cenas simples com pouco diálogo, como motivo para alongar o filme, como é o caso da relação intíma da personagem interpretada por Ryan Gosling, certamente, o salvador do filme.

http://cult-cine.blogspot.com/2011/12/tudo-pelo-poder-2011.html

3.0/5Valverde Valverde 22 de Dezembro de 2011 às 00:48

O interior de uma campanha politica. Ambições, traições e confrontações tudo na maior subtileza da classe serena de palavras amargas e sem ênfase. De facto, Nos Idos de Março é um filme de Clooney que passa uma mensagem clarividente: Na politica ninguém parte independente e tudo o que convence, vence.