Os Descendentes (2011)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

António António 9 de Abril de 2013 às 22:39

Adorei a interpretação do Clooney.

3.0/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 22 de Fevereiro de 2013 às 16:59

O filme captura de forma segura e elegante o imprevisível e constante tumulto que é a vida.

Boas interpretações, sobretudo de Clooney.

A título de curiosidade, Amanda Seyfried fez testes para interpretar Alexandra, mas o papel acabou por ser entregue a Shailene Woodley.

:)

1.5/5InTenebris InTenebris 8 de Maio de 2012 às 17:03

Vê-se, mas não deslumbra.

2.5/5Mónica Bonjour Mónica Bonjour 29 de Março de 2012 às 13:01

o melhor do filme é vermos o Clooney nesta prespectiva...mas de resto não sei onde esta Genialidade !

3.5/5Margarida Margarida 26 de Março de 2012 às 21:27

Concordo com o jonas. O Clooney está muito bem aqui, como nunca o tinha visto antes!

3.5/5jonas jonas 19 de Março de 2012 às 19:28

Uma das poucas interpretações de Clooney que eu aplaudo 3.5*

4.0/5imovie imovie 10 de Março de 2012 às 07:15

Desta vez o Jorge acertou!

2.0/5Valverde Valverde 15 de Fevereiro de 2012 às 19:56

O novo filme de Alexander Payne é mais um About Schmidt do que propriamente um Sideways. Isto quer dizer que Os Descendentes não é uma obra prima, mas só um bom filme. As personagens são reais e vincadas, o assunto envolve um enorme e necessário melodrama e joga com uma valiosa mensagem sobre os valores hereditários e a preservação da tradição familiar. O único problema aqui, o que o desvaloriza, é ser tão leve e pouco delinear naquilo que quer realmente falar. É como se fosse um belo quadro em que só com profundo gosto é que se alcança a sua profundidade.

3.5/5Maria Inês Maria Inês 26 de Janeiro de 2012 às 00:34

Sinceramente, penso que haveria actores mais apropriados para esta personagem que não George Clooney, mas não se pode dizer que não tenha estado à altura do papel...simplesmente não me parece certo para ele. Penso que, no entanto, foi uma boa opção por parte do actor e foi inesperado vê-lo num papel de pai. O elenco era bastante interessante e havia verdadeiramente uma aura familiar durante todo o filme (com duas actrizes jovens muito donas do seu nariz e um amigo muito divertido que "aproveita a onda").

Ainda que a vida da personagem principal seja um pouco caótica, visualmente temos tons e paisagens quase calmantes (bem como a própria banda sonora). Gostei do modo como alguns elementos representativos, tipicamente, do conceito de "transição", "transformação" (como o vento, as nuvens, o mar, sempre presentes) eram combinados com a sensação de familiaridade e tradição, perpetuação (os terrenos que passaram de descendente em descendente são um bom exemplo).

Diga-se de passagem que os planos originais devem ter sido um pesadelo de conseguir (filmar na praia, debaixo de água...), mas o resultado vale a pena! Aconselho, ainda que pense que toda a euforia à volta do filme seja em demasia.

5.0/5Otávio Otávio 17 de Janeiro de 2012 às 19:54

Filme envolve várias temáticas da realidade, confrontando esse problemas com o personagem principal com uma direção que trabalha de forma envolvente. Roteiro muito bem feito, com personagens bem criados e totalmente diferentes. O que chama a atenção é a situação dos jovens, como e por que eles crescem assim nos dias de hoje? Além dessa e muitas questões, temos aqui uma das maiores interpretações de George Clooney. Ele se mostra competente, inspirado e envolvido com a sua personagem.

http://cult-cine.blogspot.com/2012/01/os-descendentes-2011.html