Gone - 12 Horas para Viver (2012)

Gone

poster

Sinopse

Jill Parrish (Amanda Seyfried) descobre que a sua irmã Molly desapareceu após chegar a casa do trabalho. Jill está convencida que Molly foi sequestrada pelo mesmo assassino em série de quem escapou no ano anterior e por isso sabe que, ao pôr-do-sol, Molly será morta.

Como a polícia não acredita no versão de Jill, ela tenta desesperadamente, e sozinha, resgatar a irmã. Mas será que Jill se encontra psicologicamente perturbada e está apenas a perseguir sombras, ou é a única que conhece a verdade, conseguindo encontrar Molly, antes que seja tarde demais?



Visitantes
Visitantes
3.1 (10 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
1.0 (1 voto)

Detalhes

Ano: 2012
Estreia nacional: 12 de Abril de 2012 (#10 na 1ª semana)
Estreia mundial: 23 de Fevereiro de 2012

País: EUA
Género: Drama, Thriller
Duração: 94 min.
Classificação: M/12
Distribuidora: ZON Lusomundo

Realização:
Heitor Dhalia

Intérpretes:
Amanda Seyfried, Daniel Sunjata, Jennifer Carpenter, Wes Bentley

Links:
www.imdb.com/title/tt1838544

A crítica

(...) um fio de história sem nada de novo e filmado como se fosse possível ao espectador acreditar em tudo o que um realizador e um argumentista se inclinam para lhe dizer”
Jorge Leitão Ramos, Expresso

Blogs

1.5/5Portal Cinema - Gone
A somar à sua fraca narrativa temos uma realização surpreendentemente insegura por parte de Heitor Dhalia e um leviano despenho coletivo do seu elenco, onde encontramos uma bela Amanda Seyfried que, uma vez mais, tem uma performance medíocre num filme terrível que muito dificilmente não figurará na lista das piores produções cinematográficas do ano.”
portalcinema.blogspot.pt, 29/Abr/2012
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

3.0/5torique torique 20 de Junho de 2012 às 10:22

um bom filme, não é um espectáculo mas da para ver bem :)
3/5

3.0/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 24 de Maio de 2012 às 14:56

Vê-se bastante bem, mas não é nada por aí além. Muito pouco credível a todos os níveis, embora funcione enquanto entretenimento.

Falta-lhe complexidade, verdadeira emoção e, sobretudo, uma abordagem mais rica e compensadora a nível do clímax.

:)

3.5/5Mónica Bonjour Mónica Bonjour 17 de Abril de 2012 às 13:18

faltou um final melhor depois de um bom drama.*