(2012)

The Cold Light of Day

poster

Sinopse

Quando Will Shaw (Henry Cavill) chega a Espanha para passar uma semana de férias com a família a bordo de um veleiro, o jovem e stressado empresário não está propriamente com disposição para diversões. A sua mais recente empresa enfrenta problemas e o relacionamento tenso que tem com MARTIN (Bruce Willis) o seu pai disciplinador, só vem piorar o ambiente. Mas quando a sua família é raptada por o que se revela serem agentes secretos, dispostos a tudo para recuperar uma misteriosa pasta, Will torna-se um foragido. O seu mundo fica virado do avesso quando Martin reaparece, revelando ser um agente secreto envolvido numa teia de mentiras e segredos inter-governamentais.

Com o tempo dados pelos raptores a esgotar-se, envolvido um assassinato que não cometeu e com um grupo de assassinos americanos em sua perseguição, Will foge para Madrid, enquanto tenta juntar as peças desta conspiração tão labiríntica como as ruas antigas da cidade. Em quem pode ele confiar? E onde está a misteriosa mala que parece ser a chave recuperar a sua família em segurança?



Visitantes
Visitantes
2.3 (15 votos)
O meu voto
Login / Registo

Detalhes

Ano: 2012
Estreia nacional: 21 de Junho de 2012

País: EUA
Género: Acção, Thriller
Duração: 93 min.
Distribuidora: ZON Lusomundo

Realização:
Mabrouk El Mechri

Intérpretes:
Henry Cavill, Verónica Echegui, Bruce Willis, Sigourney Weaver

Links:
www.imdb.com/title/tt1366365

Blogs

1.5/5The Cold Light of Day
Confirma-se assim que Henry Cavill ainda não possui estofo para herói de acção e menos como protagonista. The Cold Light of Day se resume então num filme de acção aborrecido e plano que fazia melhor figura no circuito direct-to-video, obviamente.”
Cinematograficamente falando, 30/Out/2012
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

2.5/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 24 de Outubro de 2012 às 10:54

Filme completamente descartável: mal acaba, dissipa-se da memória.

1.5/5Kyan Kyan 15 de Setembro de 2012 às 13:09

É sem dúvida um filme que se vê uma vez, sem deixar qualquer saudade mas, perda de tempo.
O argumento tinha muito potencial, mas na parte da realização e na escolha dos actores, deixa de facto muito a desejar.
Não existe muita convicção nas interpretações, mais parecendo "toma lá o caché, desbobina as falas, corre, salta e dispara", enfim.
Não percebo como se gasta fortunas em filmes, para ser isto.
Entre vários reparos ao filme, as que mais se destacam são:
1ª - Ser tão fácil entrar na embaixada americana, de porta aberta, sem a presença da segurança militar - fuzileiros navais americanos -, e apenas seguranças privados.
2ª - Muitas das cenas não terem uma lógica ligação.
3ª - Will livra-se da arma num pequeno contentor cheio de jornais. Não tem qualquer arma até chegar ao escritório de D. Caldera, e antes de entrar na sala da secretária (onde está Júlia), ele prepara a arma??!! Quando luta com um dos seus perseguidores nessa sala, só existe uma arma, a do mau da fita.
4ª - Quando Will está em queda, não tem qualquer buraco de bala na parte de trás da camisa, aparecendo apenas quando está caído e depois ferido nas costas, já na mota.
5ª - Quando Will vê a filmagem de câmara num parque de estacionamento.:
5.a - Se era uma operação para apanhar um agente da CIA, que fazia negócios para benefício próprio, em que um agente secreto israelita se faz de corrupto para o apanhar, combinando um encontro com Martin (Bruce Willis), este mata o agente israelita.
É sabido que a Mossad (serviços secretos de Israel), age como uma unidade e não individualmente. Logo não estaria sozinho.
5.b - Se era para apanhar Martin, a pasta jamais iria ter conteúdo vital para Israel, mas sim um falso engodo de informações importantes.

6ª - Na intervenção dos serviços secretos israelitas (Mossad), a forma ridícula em que Sigourney Weaver e o seu ajudante, escapam a uma unidade de elite, altamente treinada e bem equipada. Em condições normais isso não aconteceria, pois são conhecidos pela forma como agem, usando a perfeição para executar missões. Não houve qualquer realismo. O ajudante de Sigourney apenas morre com o embate do carro conduzido por Júlia (lol)
7ª - O agente israelita que está com Júlia nem sequer se atira para o lado, ficando à espera de ser atropelado??!!
8ª - O líder da unidade israelita é baleado, e depois aparece no fim sem um único arranhão??!!!

1,5*

3.0/5Rui  Fernandes Rui Fernandes 11 de Setembro de 2012 às 19:19

O torique disse tudo!!!

3*