00:30 Hora Negra (2012)

Zero Dark Thirty

poster

Sinopse

A caça a Osama bin Laden inquietou o mundo e dois Governos Americanos durante mais de uma década. Mas, no final, foi uma pequena e dedicada equipa de operacionais da CIA que o conseguiu localizar. Cada pormenor da missão foi preparado no mais completo segredo.



Visitantes
Visitantes
3.5 (46 votos)
O meu voto
Login / Registo
PTGate
PTGate
2.0
Crítica
Crítica
4.0 (3 votos)

Detalhes

Ano: 2012
Estreia nacional: 17 de Janeiro de 2013
Estreia mundial: 04 de Janeiro de 2013

País: EUA
Género: Acção, Drama
Duração: 157 min.
Classificação: M/16
Distribuidora: ZON Lusomundo

Realização:
Kathryn Bigelow

Intérpretes:
Jessica Chastain, Joel Edgerton, Chris Pratt

Links:
www.imdb.com/title/tt1790885

A crítica

Olhando para os nomeados para os Óscares, é fácil perceber que houve este ano, mais do que nunca, uma influência política decisiva. Por um lado temos a profunda... mais ››
Paulo Figueiredo, Cinema PTGate

Blogs

ver todos
4.0/5Zero Dark Thirty
(...) a nova obra de Kathryn Bigelow é acima de tudo uma imagem de autonomia feminina, a envolvente que esperávamos de uma realizadora que própria se vingou em comarca ditamente masculino, por isso é de esperar que encontremos muito da autora na protagonista Maya (...)”
Cinematograficamente falando, 4/Mar/2013
2.5/5«00:30 A Hora Negra» – It’s a Man’s World
“Zero Dark Thirty” mais parece um episódio CSI em versão extensa. O típico filme americano feito para os americanos, e para ganhar Óscares. No final, acaba por ser um filme razoável.”
www.cinema7arte.com, 22/Jan/2013
sugerir um link

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

2.0/5jorgecouto jorgecouto 12 de Fevereiro de 2013 às 14:26

Filme mau. Os oscars estão a perder a credebilidade. basta alguem famosos fazer um filme sobre algo a ver com a história america e pronto, nomeação. Este e Argo são filmes rascas.

5.0/5Valverde Valverde 17 de Janeiro de 2013 às 22:16

Compra, venda, trocas, favores, Zero Dark Thirty, bem vindos ao negócio da guerra. Quando vemos um filme assim, é rara a ocasião em que pensamos que "mas isto é suposto ser normal?", porque é normal. A guerra está aí e têm um mercado bem organizado. Aquilo que a maravilhosa Kathryn Bigelow e o seu criativo argumentista Mark Boal contam, à semelhança do anterior Estado de Guerra, é que o mercado são seres humanos. Zero Dark Thirty é ainda mais frio e metódico, cheio de mensagens subtis e provocadoras. Fala-nos sobre o homem (mulher) e a dependência que a guerra lhe impõe. Fala-nos sobre esta mulher que em quinze anos não soube fazer nada mais que capturar o homem mais procurado da face da terra e que não recebe nada. Nem um louvor, nem uma vida. Não são as tão faladas torturas que tornam este filme polémico, é a forma como os Estados Unidos tão orgulhosamente preparam os civis para se tornarem soldados, mas não lhes ensina a deixarem do ser. É a conveniência do mercado mais lucrativo e uma pura hipocrisia. Já o diria George Orwell no seu 1984. Obra-prima absoluta, Jessica Chastain merece um Oscar tanto como Mark Boal e Kathryn Bigelow (que nem sequer foi nomeada...).

2.5/5Zukunft Zukunft 17 de Janeiro de 2013 às 02:55

"O que deveria estar a ser falado são os méritos cinematográficos de uma das melhores produções do ano e sobretudo uma das mais corajosas de sempre."
Treta! Muito longo, cansativo. Mas vale a pena, por ser baseado em factos reais.