00:30 Hora Negra (2012)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

2.0/5jorgecouto jorgecouto 12 de Fevereiro de 2013 às 14:26

Filme mau. Os oscars estão a perder a credebilidade. basta alguem famosos fazer um filme sobre algo a ver com a história america e pronto, nomeação. Este e Argo são filmes rascas.

5.0/5Valverde Valverde 17 de Janeiro de 2013 às 22:16

Compra, venda, trocas, favores, Zero Dark Thirty, bem vindos ao negócio da guerra. Quando vemos um filme assim, é rara a ocasião em que pensamos que "mas isto é suposto ser normal?", porque é normal. A guerra está aí e têm um mercado bem organizado. Aquilo que a maravilhosa Kathryn Bigelow e o seu criativo argumentista Mark Boal contam, à semelhança do anterior Estado de Guerra, é que o mercado são seres humanos. Zero Dark Thirty é ainda mais frio e metódico, cheio de mensagens subtis e provocadoras. Fala-nos sobre o homem (mulher) e a dependência que a guerra lhe impõe. Fala-nos sobre esta mulher que em quinze anos não soube fazer nada mais que capturar o homem mais procurado da face da terra e que não recebe nada. Nem um louvor, nem uma vida. Não são as tão faladas torturas que tornam este filme polémico, é a forma como os Estados Unidos tão orgulhosamente preparam os civis para se tornarem soldados, mas não lhes ensina a deixarem do ser. É a conveniência do mercado mais lucrativo e uma pura hipocrisia. Já o diria George Orwell no seu 1984. Obra-prima absoluta, Jessica Chastain merece um Oscar tanto como Mark Boal e Kathryn Bigelow (que nem sequer foi nomeada...).

2.5/5Zukunft Zukunft 17 de Janeiro de 2013 às 02:55

"O que deveria estar a ser falado são os méritos cinematográficos de uma das melhores produções do ano e sobretudo uma das mais corajosas de sempre."
Treta! Muito longo, cansativo. Mas vale a pena, por ser baseado em factos reais.