(2013)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

3.5/5Rui  Fernandes Rui Fernandes 21 de Agosto de 2014 às 10:44

Bom filme!!!

3,5*

3.5/5Pedro Afonso Pedro Afonso 20 de Outubro de 2013 às 00:23

Há alguém a ver mal. De certo não viram o mesmo filme que eu vi. Um filme que prima pelos fantásticos efeitos especiais e sonoros e pelo o argumento que me parece super-consistente. Esta nova versão de Super-Homem conta-nos de forma fiel a história do Super-Homem. Penso que há coisas que seriam totalmente evitáveis como o prolongamento de certo tipo de cenas como aquelas que nos mostam todo aparato criado nas cidades em consequência das lutas entre o Super-Homem e o General Zod. Fora este aspecto penso que está um óptimo filme!

0.5/5jorgecouto jorgecouto 29 de Julho de 2013 às 05:36

Que filme horrivel. Ora dava sono, ora eram explosões, prédios a cair, naves a rebentar... isto de cinema não tem nada, só palhaçada para o 3D.

4.0/5lucas lucas 21 de Julho de 2013 às 19:24

O super-homem é neste filme reinventado no século XXI. Está um bom filme pelo argumento que se esforça por representar a origem deste super-herói, pelos efeitos especiais incríveis e pelos efeitos sonoros alucinantes.

3.0/5Valverde Valverde 20 de Julho de 2013 às 03:21

O Homem de Aço ganhou finalmente um filme que consegue ser facilmente aceite pela maioria dos espectadores. Sempre achei que nas mão de Chris Nolan como produtor o filme não teria a melhor reprodução que as BDs desenham, mas teria uma mais credível posição num mundo real, tal e qual o vivemos. Mas, nem todos os heróis se encaixam na música Desolation Row do Bob Dylan (At midnight all the agents, and the superhuman crew, come out and round up everyone that knows more than they do). O resultado final é um filme muito bem feito, com uma máquina CGI poderosíssima, efeitos sonoros delirantes, com boas actuações e imagens deslumbrantes. Porém, é no argumeto que Man of Steel perde, pois desta vez Zack Snyder não pode copiar página a página a graphic novel do Watchmen, desta vez ele teve de convencer os fãs da DC que o Super Homem tinha de ter uma história como o Batman teve. Porém, o Super-Homem não tem nada a ver com isso. Ele é um heroi disfarçado de humano. Quer-se humanizar demais super heróis, quando eles deviam ser misteriosos deuses inspiradores. Há um momento no filme, lá para o fim, em que Henry Cavill se parece imenso com Christopher Reeves. Esse é o único momento em que sinto que estou a vêr a essência do Super Homem. Aquela mágica essência da BD, do Jesus Salvador da Patria, da Liberdade e da Humanidade. Espero que uma possível sequela consiga desprender-se mais e não ter medo de ter super poderes.