Delicatessen (1991)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

5.0/5jalfy jalfy 25 de Dezembro de 2009 às 03:13

Extremamente sonoro e enriquecido por cenas absolutamente neuróticas mas coerentes. Todo o filme e personagens a "cantar" a mesma música e axo isso marcante e louvável.

3.5/5André Filipe Moreira Santos André Filipe Moreira Santos 5 de Março de 2009 às 01:00

Filme cheio de humor negro e pormenores únicos que tanto gosto (Jeunet para mim é o mestre dos pormenores). Fantástico as várias tentativas de suicidio de uma das personagens e a cena em que o carniceiro tem sexo com uma das inquilinas. Formidável é o genérico, no mesmo estilo dos créditos finais de Amélie...3.5*

3.5/5kimERA kimERA 3 de Março de 2008 às 01:29

Sou grande fã de Jeunet mas desta vez desiludiu-me um pouco e não se pode dizer que ainda estivesse a começar a sua carreira. O filme vive de breves momentos engraçados e com um fio condutor demasiado ténue ficando por isso confuso a maior parte das vezes.
No entanto não se pode dizer que seja um mau filme, tem boas representações e uma boa fotografia.

3.0/5Filipe Nunes Filipe Nunes 12 de Novembro de 2007 às 15:38

Excelente filme de Junot. Contudo, dentro do género de humor negro, considero-o inferior ao nórdico "The Green Butchers". Mas é, sem dúvida, um belíssimo filme. 14/20

3.5/5Mousinho Mousinho 15 de Setembro de 2007 às 15:27

Um bom filme noir, de comédia francesa.
Para ver!

1.0/5ossocore ossocore 27 de Agosto de 2007 às 17:59

Um dos piores filmes que eu ja vi em toda minha vida, e não foram poucos. A unica coisa boa são os créditos iniciais. A fotografia também é boa, mas não percam tempo.

24fps
24fps 8 de Janeiro de 2007

Delicatassen é na realidade um filme imperdível. Apenas o seu genérico, filmado numa linguagem inteligente e cheia de humor - uma máquina fotográfica suja e em péssimo estado assinala o director de fotografia - é digno de um prémio. Depois é um filme que nos embala entre o drama e o riso, um humor negro num tempo de guerra, de probreza e de escassez... O mais admirável neste filme é por certo aquilo que não nos é dito: se bem que o guarda roupa e o design de produção podem apontar para a segunda guerra mundial, no filme nada é referido tornando aquele prédio, algures em qualquer lado o centro do universo. Na cena final, onde o tom sépia que enternece todo o filme, abre para um tom mais natural é uma da maneiras mais inteligentes que alguma vez observei de "fechar" um filme.

ana correia
ana correia 15 de Dezembro de 2004

É um filme imperdivel, ninguém pode dizer que gosta de cinema se não tiver visto este filme pelo menos 5 vezes!!!