Mr. Deeds (2002)

poster

a crítica

There's no chemistry between Deeds and Babe, but then how could there be, considering that their characters have no existence, except as the puppets in scenes of plot manipulation”
Roger Ebert, Sun-Times
Redesenhando Mr. Deeds em traço grosso, o filme de Steven Brill nem sequer está muito interessado na moral da história, apenas na quantidade de efeitos cómicos (...) Não há propriamente personagens, e as ideias também são um bocadinho pobres: o simplismo pacóvio do filme imiscui-se até na fraca noção de burlesco com que os gags são concebidos.”
Luís Miguel Oliveira, Público