(2004)

poster

a crítica

Um sistema eléctrico arrasa-tabus que, na sua repetição e exibicionismo, acaba por produzir um efeito tão inofensivo que quase se poderia dizer que MÁ EDUCAÇÃO prende-se aos mesmos estereótipos que o politicamente correcto mais simplista.”
Tiago Pimentel, Premiere
MÁ EDUCAÇÃO faz uma aposta arriscada: regressa aos tempos do franquismo, recupera a essência do filme «noir» (...) Trata-se, com efeito, do mais negro dos seus filmes”
Mário Jorge Torres, Público