(2004)

poster

a crítica

Apesar do trabalho notável de Glazer e da fotografia espantosa de Harris Savides, custa-me a aceitar facilmente um filme que não tomou os cuidados narrativos devidos para amputar o amor da sua fundamental componente física e onde tantas ambiguidades no fim podem ser confundidas com falta de ideias.”
Tiago Pimentel, Premiere
(...) um filme fora do comum (...) não podemos deixar de afirmar que este é um drama com dificuldade em suportar o peso da sua própria contemplação.”
Francisco Ferreira, Expresso