(1977)

poster

a crítica

(...) mesmo dentro do seu trabalho, ERASERHEAD a pouco se assemelha. As personagens nunca foram tão «cartoonescas» e é certamente por aqui que o humor e o horror se unem em mistura explosiva.”
Francisco Ferreira, Expresso
(...) iluminado por brilhantes ideias de cinema (...) o poder de perturbar, de se instituir em terrífica projecção dos terrores contemporâneos, um modo complexo de lidar com os nossos fantasmas interiorizados. O valor histórico de ter desencadeado monstros incontroláveis ninguém lho tira.”
Mário Jorge Torres, Público