(2007)

poster

novo comentário

Para submeter um comentário faça login ou registe-se

comentários RSS

3.5/5..::Cátia Cruz::.. ..::Cátia Cruz::.. 20 de Julho de 2011 às 15:18

Interpretações fortíssimas e carismáticas, uma cinematografia imaculada e uma banda sonora que encaixa perfeitamente em cada momento da acção são os principais atributos deste filme. É uma boa adaptação da obra literária, embora não tão poderosa e muito menos inesquecível. Vale pelo que nos relembra: toda a acção aporta consigo uma consequência.

3.5/5Diogo Pinheiro Diogo Pinheiro 29 de Abril de 2011 às 15:16

Esta é uma boa história de culpa e redenção. Tem um bom final, que eu pelo menos não esperava. Mas não entra para galeria dos meus grandes favoritos.

4.5/5AnaMarta AnaMarta 17 de Janeiro de 2010 às 17:49

arrancou-me uma lágrima...
Mostra o quão a vida é efemera e estupida...

4.5/5Duarte Correia Duarte Correia 25 de Julho de 2009 às 20:58

Uma das melhores histórias de amor que já vi...

4.0/5cc cc 4 de Maio de 2009 às 16:38

excelente filme
um filme para ser bom tem de ter uma boa historia, que tenha principio, meio e fim, e este definitivamente tem, nao e como alguns filmes que para aí andam que nunca se chega a perceber nada.

4*

1.5/5Claude o Garanhão Claude o Garanhão 14 de Fevereiro de 2009 às 16:26

-<« Classificação: 1,5 »>-

Péssimo filme, entediante, pois é tudo tão lento que até dá sono.
A lição de moral do filme até não é má, mas peca pela lentidão com que o filme se desenrola.
A única coisa realmente interessante e original é a parte final.

3.5/5ramus ramus 10 de Fevereiro de 2009 às 15:39

realmente é um bom filme, com grandes interpretações..no entanto, no meu entender, peca por perder ritmo a certa altura..no entanto, contem pormenores que fazem a diferença..vejam!

5.0/5Cláudio Cláudio 7 de Fevereiro de 2009 às 01:50

logicamente que todos tem o direito de ter a opinião que assim entenderem, e uns gostam mais de filmes feitos meramente para vender, outros nem tanto, gostam mais de obras de arte como esta que joe wright nos presenteou, ele e o seu leque de extraordinarias interpretações e toda a equipa.
já vi muitas centenas de filmes, e este faz parte de 2 ou 3 que me conseguiram arrancar a lagrima do olho.
entre este e os Condenados de Shawshank, ainda estou indeciso de saber qual é o que está no cimo da minha lista. a banda sonora está genial, a condução do filme é sublime, as actuações são brutais, aquela cena na praia é colossal, nem imagino o trabalho que deu montar todo aquele cenario e interpretações.
Enfim, é delicioso ser presenteado com um filme deste nivel, com as chachadas que aparecem quase diariamente, este é sem duvida um filme que vou ver dezenas de vezes ao longo da vida.

4.5/5JoãoC. JoãoC. 6 de Fevereiro de 2009 às 00:18

Muito muito bom... banda sonora e cenários muito bons...

5.0/5jmbest jmbest 1 de Janeiro de 2009 às 01:44

um dos meus filmes preferidos e muito .......................tudo
deveria ter ganho o oscar
e sem duvida melhor k o"este pais nao e para velhos" k eu achei uma treta

2.5/5MantorrasBranko MantorrasBranko 13 de Outubro de 2008 às 17:49

O que eu acho estranho é a rapariga ter pensado que tinha visto Robbie e passado anos ter flashbacks e ver que a cara era a do gajo dos chocolates; mas o que acho mais estranho, é que a bonita e apaixonada frase que o moço escreve, se fosse num filme de adolescentes seria considerada porca e de mau gosto, mas como foi num filme destes é muito engraçada, romântica e torna o filme erudito.

5.0/5movie_star_baby movie_star_baby 12 de Outubro de 2008 às 15:32

Tão perfeito como um filme pode ser.Sem falhas.
5/5
=)

4.0/5ff ff 5 de Outubro de 2008 às 19:11

É um justo vencedor dos globos de ouro, tendo em conta a pobrza dos filmes nomeados este ano.
Com uma grande actriz em ascensao, Keira Knnightle (Seda) , um poderosos actor, James Mcavoy ( Wanted)e uma jovem revelaçao de hollywood que conseguem fazer um enredo suportado com um grande argumento, que o realizador Joe Wright tao bem desenvolveu.
Com um final de tirar a lagrima do canto do olho aos mais sensiveis, consegue o que outros filmes nomeados nao consegiram: Fundamento

5.0/5Carolina Carolina 22 de Julho de 2008 às 22:20

Um filme que nos mostra todas as componentes da época em questão. Os problemas familiares de alta sociedade, a guerra, o amor, ...
"Expiação" toca na dificuldade que alguém tem para compôr e restaurar aquilo destruiu.
Com uma sensibilidade magistral e com um final dramático e sensacional, que leva a esta trama superiorizar-se na sua qualidade.
Em suma, um filme com mérito e merecedor de prémios cinematograficos

4.0/5idieinmind idieinmind 12 de Julho de 2008 às 21:39

Este filme é boa adaptação do livro hómonimo escrito por Ian McEwan. Adorei tanto o filme como o livro. É realmente incrível o que os actos provocados por uma rapariga de 13 anos, pode fazer às vidas de outras pessoas e até mesmo à sua. É um filme sobre amor,culpa e a busca pelo perdão. Comovente ao ponto de nos fazer chorar uma lágrima no seu fim. Apesar do seu ritmo algo parado, e a sensação de que este filme podia ter sido melhor, Expiação é um filme para ver

Fernando Torres Fernando Torres 27 de Junho de 2008 às 17:01

Joe Wright, já em 2005 nos tinha brindado com um soberbo trabalho de direcção, com "Orgulho e Preconceito" (Pride and Prejudice), baseado na obra homónima de Jane Austen. Agora, com este " Expiação" (Atonement), uma quase transposição cinematográfica do poderoso romance de Ian McEwan, vem confirmar que já passou a fase de promessa e que muito se pode esperar dele.
Em traços largos, “Expiação” conta a história da adolescente e auspiciosa escritora Briony , que ao acusar de um crime, com um falso depoimento, motivada por ciúme e desejo de vingança, o namorado da sua irmã mais velha, acaba por alterar, de forma trágica e irremediável, o curso das suas vidas. Tardiamente assumido como um acto sórdido e deplorável, segue-se o remorso e a sua transfiguração em obra literária, como forma de reparação dos danos. Isto faz com que a Briony (superiormente interpretada por Saoirse Ronan com 13 anos de idade, Romola Garai com 18 anos e Vanessa Redgrave com 70 anos) se transforme na personagem central do filme, porém, sem ofuscar Keira Knightley e James McAvoy, os quais desempenham com brilho os respectivos papéis de casal de apaixonados.
A bucólica letargia de uma ociosa família inglesa aristocrata de meados dos anos 30 do século passado, o início da II Guerra Mundial, com a caótica e desastrosa retirada das tropas inglesas das praias de Dunquerque (reconstituída num espectacular plano com a duração de perto de 5 minutos), o drama dos hospitais ingleses a regurgitarem de mortos e feridos, e os bombardeamentos nazis sobre Londres, são, entretanto, as plataformas onde se articula todo o drama.
Assim, estendendo-se entre 1935 e a actualidade, o filme vai-se desenrolando em dois patamares, que têm tanto de distintos como de complementares: um deles corresponde à ficção construída pela jovem Briony, sobre uma fracção da realidade; o outro exibe essa realidade, sórdida e trágica. A alavanca que sustenta todo o filme acaba por consistir num discurso de avanços e recuos, entre uma pretensa realidade nua e crua, que alterna, através da escrita que a Briony vai produzindo, com a transmutação da realidade de um destino trágico, num final alternativo, que corre no encalço de uma desejada redenção. Na sua dorida imaginação, Briony recria os amantes vivos e felizes, pensando que com essa emenda alcançaria o perdão.
Tudo isto, lá ao fundo, acompanhado por uma belíssima banda sonora, mais o som cavo das batidas dos tipos de uma máquina de escrever, que vai percorrendo todo o filme, a pontuar o fluxo criativo da imaginação de Briony, na recriação da sua outra realidade redentora. A fotografia, adequada à época e ao contexto, não tem mancha nem pecado. A marcha ao encontro do grosso das tropas em retirada, mais o campo de papoilas e o cenário da falésia a pique batida pelo mar, a emoldurar a casa de um sonho adiado dos amantes, são quadros inesquecíveis.
“Expiação” é exemplar como objecto fílmico, pois tenta mover-se dentro da consciência das suas personagens, e transmitir-nos, com a comunicabilidade possível, essas labirínticas sensações. É sólido e denso na sua trajectória narrativa, ora real, ora ficcional, comovedor sem ser piegas, absorvente sem ser complexo, construído e dirigido com rigor, sensibilidade e mestria, além de ser soberbamente interpretado. Este sim, é CINEMA com maiúsculas, a ver e rever.

4.5/5Mariana Mariana 17 de Junho de 2008 às 14:00

LINDO!

4.0/5Liliana Liliana 17 de Junho de 2008 às 10:14

É um bom filme sem duvida, faz nos pensar em como "pequenas" atitudes podem mudar drasticamente várias vidas com consequências desastrosas... este filme retrata e personifica as mtas injustiças q vão acontecendo diariamente, a maior parte delas geradas assim, por pessoas q concientemente (ou não) acabam por nos prejudicar por estarem movidas por sentimentos mesquinhos como a inveja, raiva ou ciumes... ou ate mesmo (e em mtos casos )... tb por egoismo e ambiçao.

3.5/5André Filipe Moreira Santos André Filipe Moreira Santos 8 de Junho de 2008 às 03:21

incrivel como a ágil imaginação de Briony leva a k um homem inocente seja culpado e k isso acabe com um amor... na minha opinião o filme tava a ser mt bom até ao momento em k o gajo vai preso, dpx dixo o filme entra numa monotonia aborrecida para dpx acabar em grande....só foi pena akela parte do meio, de resto ta mt bom

salome salome 18 de Abril de 2008 às 17:09

Um filme que enche a tela, grande trabalho de todos os actores, mt bem dirigido, com bons planos e excelente fotografia,argumento de qualidade e ate os adereços e guarda roupa estao em total harmonia. A personagem Briony esta espantosa em todas as idades e a maneira como o filme mostra as suas visões e a realidade está muito bem transmitida. Enfim um bom drama que foi pensado para ganhar oscar ou gloubo

Valter Antunes Valter Antunes 13 de Abril de 2008 às 10:08

Tá muito bom,se acham que é assim tão mau,então digam lá,que filmes bons é que tem havido ultimamente?|
Nenhum,é só caca.
Este ainda consegue ter uma boa historia e com muito boas interpretações!!

2.5/5Rui Afonso Rui Afonso 18 de Março de 2008 às 14:16

Mais um filme chato e aborrecido que fará as delicias dos ditos "intelectuais" do cinema...

4.0/5Hugo Silva Hugo Silva 13 de Março de 2008 às 23:26

Desde que o trailer saiu ha uns bons meses que fiquei com este filme na ideia. Esperei.. decidi comprar o livro e ainda consegui ler 95% antes de ver o filme.
Confesso que fiquei algo desapontado porque o livro é algo de extraordinário mas o filme fica uns furos abaixo. Não deixa de ser um filme muito recomendável mas infelizmente é tudo feito à pressa. Eu identifico dois momentos no livro, quem sabe o filme não devesse ter também ter sido partido em dois?..

O desfecho é magnifico e é também no meu entender o que suportou a nomeação para o óscar o que no final me remete a pensar que afinal a nomeação devia ter sido para o Ian McEwan. Ah, e não me venham dizer que o entenderam antes de ser revelado.

Klose Klose 29 de Fevereiro de 2008 às 19:59

Bah... Que chachada de filme.
Só para quem gosta de filmes lamechas. Ía adormecendo a ver isto.

comentador Indiscreto comentador Indiscreto 27 de Fevereiro de 2008 às 23:22

Bom mas podia ser melhor
4.5
medio/alto

5.0/5Rolling-Murray Rolling-Murray 27 de Fevereiro de 2008 às 14:30

O melhor filme que vi desde há algum tempo. Uma história poderosíssima, interpretações fantásticas (a jovem Ronan "prende" ao ecrã desde a primeira cena) e uma banda sonora sublime de Dario Marinelli (genial a utilização do som da máquina de escrever) elevam este filme aos píncaros da minha consideração. Muito bom!

3.5/5JB JB 27 de Fevereiro de 2008 às 14:13

Um bom filme mas sinceramente não é um filme para ganhar qq óscar por isso n fikei admirado de não receber nenhuma das grandes estatuetas. Axo q criou demasiadas expectativas q dp não são concretizadas qd vemos o filme.

4.0/5kimERA kimERA 22 de Fevereiro de 2008 às 20:38

É óbvio que o filme é bom, só que infelizmente falta-lhe uma característica: prender o espectador. Há momentos em que dá a impressão de podermos deixar o filme a meio porque não irá dar muito mais que aquilo.
Mesmo assim tem as medidas exactas para receber um Óscar destacando-se a realização, a fotografia e a banda sonora.

4.5/5jonas jonas 19 de Fevereiro de 2008 às 19:35

nao ha muito a dizer deste filme..é o filme de 2007...muito melhor como foi dito que orgulho e preconceito do mesmo realizador...Joe Wright apresenta-nos uma grande obra digna da setima arte...uma adaptaçao fantastica...fantasticas tambem estao as interpretaçoes..sobretudo da jovem bryoni e da surpresa James McAvoy..Keira revela maturidade de filme para filme e tamem tem uma interpretaçao acima da media mas espero pela interpretação prodigiosa...resumindo vejam porque nao vão ficar desiludidos de todo. 4.5*

3.5/5Valverde Valverde 11 de Fevereiro de 2008 às 10:44

Um filme claramente a trabalhar para os Oscares, onde a realização e as actuações são os pontos mestres de maior interesse, já que a história em si, é sempre uma incognita de caminhos, onde parece que nunca houve uma decisão sobre que tipo de filme Expiação iria ser. No entanto é recomendável, embora não seja obrigatório. 4/5

4.0/5Adriano Adriano 6 de Fevereiro de 2008 às 22:25

Um excelente drama romantico , mais uma obra literária bem adaptada ao cinema , o filme peca por vezes por ser algo parado , e é brilhante o desfecho em que a "Escritora" desvenda toda a vontade que por vezes não é adaptada à ficção.

Fica a duvida se levará o Oscar , mas já vi piores filmes a levarem a estatueta para casa , e ainda não escolhi o meu favorito para a noite de todas as estrelas !!!

Minha nota 4****/5*****

5.0/5aliena aliena 21 de Janeiro de 2008 às 16:33

O grande romance melodramático no seu melhor: excelentemente escrito por Ian McEwan e muito bem adaptado ao cinema.
Há já muito tempo que não aparecia um filme deste género com este nível de qualidade. Goste-se ou não do realizador Joe Wright (demasiado convencido e brithish para alguns...), há que admitir que ele sabe o que faz. Não me sentia tão surpreendida por um realizador desde "a lição" de Ang Lee.
Além disso, goste-se ou não de jovens actores inglêses com sotaque, a verdade é que James McAvoy deixa neste filme expectativas futuras muito altas; «Onde é que este tipo esteve escondido este tempo todo?», é o que dá vontade de perguntar.
Quanto a Keira Knightley, não me surpreende mesmo nada o seu triunfo, é uma das melhores actrizes da sua geração, tendo sabido escolher muito bem os seus papéis: tem talento e tem inteligência para o sustentar.
Resumindo: Excelente filme,com ou sem Óscar...

5.0/5DEONPLAYGROUND DEONPLAYGROUND 21 de Janeiro de 2008 às 10:10

Simplesmente magnifico! Não é aqui caso de superioridade pois a mim Orgulho e Preconceito também me satisfez a um nível que muito poucos realizados e películas o fazem. Sou um sentimentalista, confesso, e foi para mim uma tarefa árdua tentar reter ao máximo uma e outra lágrima durante o filme, não fosse perder alguma coisa.
Prémios e galardões à parte, será para mim indispensável ter este filme na minha colecção de dvd's, para rever até deixar que o leitor o consiga ler. (,")

"I gave them their happiness."

5.0/5Telma Telma 19 de Janeiro de 2008 às 22:20

Por mim já ganhou o Oscar!
Filme simplesmente brilhante, vem provar mais uma vez o grande talento que a Keira tem!

4.0/5Hugo Gomes Hugo Gomes 19 de Janeiro de 2008 às 19:32

Wright sai do romance de Jane Austen para interpretar outra obra de grande importância cultural; Atonement de Ian McEwan, e com ele leva a sua “musa” Keira Knightley que tal como o realizador, a maturidade se verifica. É mais uma história de época ocorrida entre a Segunda Guerra Mundial sem nada de bélico ter. O romance de fundo é arrebatador e a vivaça de Joe Wright sobre a bela fotografia e a banda sonora de James Bellamy que nos transmitem uma sensação de espectáculo de luxo. Os protagonistas também auxiliam nessa descrição, James McAvoy num registo profundamente dramático e capaz, e Saoirse Ronan que desempenha Briony aos 13 anos, é talvez uma das melhores interpretações infantis que há memória (se isso não for muito exagerado).

- Cinematograficamente Falando

5.0/5Bruno Bruno 19 de Janeiro de 2008 às 00:01

Muito bom! Muitíssimo superior a "Orgulho e Preconceito". Talvez tenha sido justo o prémio nos Globos de Ouro.

4.5/5diogoperas diogoperas 17 de Janeiro de 2008 às 18:43

Dos melhores filmes que já vi.

5.0/5aliena aliena 12 de Janeiro de 2008 às 16:40

Excelente livro, será excelente o filme?
Ao menos espera-se q a estreia em Portugal venha antes dos Óscares, ao contrário de outros filmes...

Nuno Nuno 3 de Novembro de 2007 às 11:04

Pelo trailer promete e muito...
já a estreia, mais uma vez, Portugal na cauda...